29 November 2012

BOM DIA

por Ana Veet Maya

Que todos os fantasmas da noite
Se afastem com a chegada do dia
Que você se sinta sereno
Que se saiba seguro
Ainda que ventos e tempestades
Ameacem o seu teto.
Que você consiga
Mesmo em meio à tormenta
Encontrar a paz no seu interior.
A calmaria no mar profundo
As belezas e tons exóticos
A ternura não explícita
O amor que chega em ondas
O silêncio das águas mansas
A alegria do coração tranqüilo
A plenitude da alma pacífica.

28 November 2012

PARA TODO O SEMPRE

por Ana Veet Maya

Um dia
Todos olharemos o céu
Abriremos nossos olhos
Para a beleza de tons
A diversidade de cores
E todos os sentimentos
Que brotam naqueles
Que admiram o céu.

Um dia
Todos olharemos o mar
Abriremos nossos olhos
Para o ritmo das ondas
A força das águas
E a paz que segue
Todos aqueles
Que respeitam o mar

Um dia
Quando o céu, a água e a terra
Estiverem estampados
No nosso coração
Nesse dia enfim
Todos seremos um 
E o amor habitará em nosso coração
Para todo o sempre.

27 November 2012

DELEITES DO AMOR

por Ana Veet Maya

Vermelho, rosas e vinho
Beijos na boca, na nuca
Sussurro arrebata e arrepia
Acendem desejos agora
Esquece o juízo e a razão
Cala tua mente se entrega
Ouve teu corpo entende
Carente, carinhos permita!
É hoje, foi sempre, enxergue
Não perca seu bote no mar
Agarre o momento, aceite
Deleite do amor é amar...

23 November 2012

HERÓI? VÍTIMA? QUEM É VOCÊ?

por Ana Veet Maya


Então você fica triste e cheio de chororô e espera que um amigo perceba que você está se sentindo mal e corra ao teu socorro?

Fica amargo remoendo angústias existenciais que nunca terminam, aguardando ser compreendido?

Sente-se decepcionado porque na hora que está alegre parece que todos querem compartilhar, mas quando está triste, ninguém quer saber de você?

O mundo está terrível, todo mundo está louco, todos errados não enxergam o quanto você está certo?

Pare já com essa lamentação.

Vá já tomar um banho.

Passe aquele perfume gostoso. Refresque o corpo.

Respire fundo. Deixe que um novo ar refresque sua mente.

Alongue-se. Deixe que sua alma se acalme.

Coloque aquela roupa que te deixa tão mais bonito.

Vá dar um volta no quarteirão.

Olhe ao seu redor.

Sorria para sua vizinhança.

Dê bom dia a todos.

Seja gentil.

Saia dessa vibração de vítima.

Lembre-se que é natural que as pessoas gostem muito mais de compartilhar as alegrias.

Todos já vivem tão sobrecarregados de problemas, nem sempre conseguirão ser um ombro amigo para você.

Nem todos têm qualidades de bom ouvinte ou bom conselheiro.

Muitos amigos se afastam em momentos de crise, porque não sabem o que falar...

Seja mais humilde, menos pretensioso, seja mais natural. Não supervalorize o que é seu em detrimento do que é do outro!

E não sinta vergonha de sentir dor.

E, quando precisar, peça. Não aguarde que o outro seja intuitivo e lhe ofereça ajuda.

Mas para ser ajudado, você também precisa abrir um espaço dentro do seu coração para ouvir o outro...

Não é legal a gente ser egoísta e supervalorizar a nossa dor...

A minha, a tua, a nossa dor... Tudo dói! Não dá pra gente medir a dor do outro...

Que tal silenciar por uns minutos?

Normalmente 
a mãe natureza 
nos oferece gratuitamente 
todas as respostas 
que precisamos.

Herói? Vítima? Quem é você?

Quando silenciamos e nos voltamos pra dentro, ficamos mais conscientes, mais livres de julgamentos errôneos da mente e mais prontos para nos livrar das máscaras e apenas ser...

A TERRA JÁ VAI CHEGAR


por Ana Veet Maya

E lá naquela curva, a tormenta.

Tudo fica escuro. O ar te falta.

Você perde a noção do ser, cambaleia e se deixa levar pelo turbilhão.

Durante um tempo que não sabe precisar quanto, teu corpo é chacoalhado, você perde o controle sobre seus membros, você pensa que seus órgãos vão explodir e sair triturados num vômito compulsivo.

É um rodamoinho que te enjoa e parece que nunca vai terminar.
Tudo roda sucessivamente e imagens do passado revisitam seu presente.
E somem outra vez.

E você não sabe quando isso vai parar.

Mas nada mais resta pra fazer a não ser se entregar.
E você então para de se debater.
Você para de tentar entender e se deixa apenas carregar.

E nessa ausência de julgamento, tudo voa e você perde todos seus sentidos e a noção que fabricara sobre o quem sou eu.

E, de repente, você apenas aceita.

Você é a aceitação.

E sem entender a loucura desse quebra-cabeça, sem saber ao certo como começou e se um dia terminaria, subitamente teu corpo é depositado sobre a terra.

E como se fora um renascimento, o cheiro da terra vai despertando os seus sentidos e aquecendo o teu corpo frio.

Ao longe o som de um pássaro te mostra que há vida novamente enfim.

E você só pode aceitar e agradecer a bênção do recomeço.

Levanta e titubeante, recomeça a caminhada...

É, meu irmão...
Se nesse momento você está se sentindo no olho do furacão, 
respire fundo e tenha fé.
A terra já vai chegar! 
                Ana Veet Maya

10 November 2012

SENSUS HOT

Grupo Sensus
SENSUS HOT
Venha sentir este carinho! Depois de uma deliciosa temporada, só mais dois dias! Sexta dia 14 e sábado dia 15 de dezembro de 2012!
Sextas e sábados, 23h 
Cemitério de Automóveis
Rua Frei Caneca, 384

INTERROGAÇÃO

por Ana Veet Maya
(pra você mana Irani! Acelera! Pisa fundo! Se joga!)


O céu amanheceu azul
Será que olho?
A flor perfumou todo meu jardim
Será que sinto?
A fruta cobriu de néctar os meus lábios
Será que provo?
Meus sentidos se despertaram
Será que arrisco?
Minha vontade acordou
Será que permito?
Será que me entrego?
Será que me dou?
Será que vou?




2 November 2012

PARA SOFIA II


SOFIA MINHA QUERIDA COMPANHEIRA
por Ana Veet Maya

A casa está tão grande

E a porta já não bate

A janela sequer abre

E o vento nem sopra mais...

A comida não apetece

A espera não acontece

E a maçã não se divide

A bolinha não rola solta...

O silêncio se instalou

Profundo e penetrante

Cheio está de sentimento...

E o ronco não mais se escuta

E a alegria se escondeu

Naquele cômodo secreto

Daquele adiantado espaço

Bem longe, distante dimensão

Lá no infinito céu azul

Povoado de estrelas

Pães, quitutes e docinhos...

O paraíso dos anjinhos

Onde você foi viver para sempre

Sofia, minha querida companheira.
                                                      por ANA VEET MAYA : 
Esta é mais uma homenagem a SOFIA, este ser de luz com quem tive o privilégio de compartilhar por apenas nove meses. Mas o que é o tempo?...

Adotada em fevereiro de 2012, embora vinda de uma história de rejeição e abandono, tal qual uma criança feliz, se entregou a mim e aos meus cuidados sem barreiras e nenhuma restrição.

Sofia amava a tudo e a todos incondicionalmente. Nada pedia, nada exigia, aceitava tudo feliz e sempre de bom grado. Queria apenas a minha companhia.

Dentro de minha modesta possibilidade, fiz o que pude e agradeço profundamente pela amizade que me dedicou.

Cada um com suas escolhas, cada qual com seus amores.

É ainda um pouco difícil para eu entender por que existem tantos humanos que não valorizam a vida dos animais?

Mas cada um no seu patamar, seguindo seu ritmo, mantendo sua individualidade e prosseguindo seus estudos na escola da vida terrena.

Se você leitor querido, ainda está lendo isso que escrevo com o coração, agradeço. Com certeza nossas almas estão ligadas por inúmeras afinidades. Saiba: somos todos UM.

Bem-vindo!

Nunca deixe de socorrer, proteger, amar, cuidar dos animais e de toda espécie que compartilha conosco neste planeta maravilhoso que é a TERRA.

Um salve a todos os animais e meu carinho a todos os protetores e cuidadores!

Se você é amante dos animais, se você já aprendeu a valorizar a amizade honesta, total, o amor incondicional que eles nos dedicam, indico para sua leitura mais dois textos que escrevi.

NOSSOS BICHOS AMADOS:

ABANDONO DE CÃES:
http://anaveetmaya.blogspot.com.br/2012/09/abandono-de-caes-na-ilha-de-borore.html

CONHEÇAM O BLOG DA VIVI:
http://arcadavivi.blogspot.com.br/



Porcelain

Moby 


Songwriters: Hall, Richard Melville
In my dreams I'm dying all the time
As I wake it's kaleidoscopic mind
I never meant to hurt you
I never meant to lie
So this is goodbye
This is goodbye

Tell the truth you never wanted me
Tell me

In my dreams I'm jealous all the time
As I wake I'm going out of my mind
Going out of my mind





1 November 2012

PARA SOFIA

PARA SOFIA
por Ana Veet Maya


Mais folia
Quem sabe te aguarde
Lá do lado do portal?
Olhe agora e sorria
Solta o riso e a fantasia
Saltita meu doce mel
Pra todos chega o dia
De falar bye bye very well
E o medo acabará
E a alegria então será
Para todo o sempre amem
Sofia, meu anjinho
Como te quero bem!







leiam também:
BLOG DA VIVI
http://arcadavivi.blogspot.com.br/



Nossos protetores fiéis

Abandono de cães

Sofia e Balu

Temaki meu gatinho amado

Aos que amam os animais incondicionalmente

Para Sofia















31 DE OUTUBRO DE 2012, descanse em paz minha amada amiga.