30 September 2012

AS COISAS TRANSITÓRIAS


Rabindranath TagoreNascimentos, mortes, a florzinha que alegrava meu jardim já tornou-se pó.
Lembro que ontem brincava de roda e aprendia com meus professores no Estadual da Penha. 
Hoje sou eu a professora e aprendo com meus alunos.
Meu pai que ontem me ensinou a nadar hoje é a água e o vento que acarinham minha face.
O colo de minha avó Anna ainda está ao alcance do meu fechar de olhos, só que hoje sou eu a cuidadora...
Mestre Apurva me ensinou o poder da meditação, o alimento que brota no silêncio e a alegria que nasce do compartilhar puro.
Sim, penso que tenho aprendido sobre a vida e sobre os homens, sobre mim mesma e sobre a transitoriedade de tudo. 
E entre a vida e a morte, a arte de viver bem.
As Coisas Transitórias  Rabindranath Tagore Escritor, poeta e músico (1861 - 1941) in "O Coração da Primavera" 
Tradução de Manuel Simõe
Irmão, nada é eterno, nada sobrevive. Recorda isto, e alegra-te. 

A nossa vida não é só a carga dos anos. A nossa vereda 
não é só o caminho interminável. 
Nenhum poeta tem o dever 
de cantar a antiga canção. 
A flor murcha e morre; 
mas aquele que a leva 
não deve chorá-la sempre... 
Irmão, recorda isto, e alegra-te. 

Chegará um silêncio absoluto, 
e, então, a música será perfeita. 
A vida inclinar-se-á ao poente 
para afogar-se em sombras doiradas. 
O amor há-de ser chamado do seu jogo 
para beber o sofrimento 
e subir ao céu das lágrimas ... 
Irmão, recorda isto, e alegra-te. 

Apanhemos, no ar, as nossas flores, 
não no-las arrebate o vento que passa. 
Arde-nos o sangue e brilham nossos olhos 
roubando beijos que murchariam 
se os esquecêssemos. 

É ânsia a nossa vida 
e força o nosso desejo, 
porque o tempo toca a finados. 
Irmão, recorda isto, e alegra-te. 

Não podemos, num momento, abraçar as coisas, 
parti-las e atirá-las ao chão. 
Passam rápidas as horas, 
com os sonhos debaixo do manto. 
A vida, infindável para o trabalho 
e para o fastio, 
dá-nos apenas um dia para o amor. 
Irmão, recorda isto, e alegra-te. 

Sabe-nos bem a beleza 
porque a sua dança volúvel 
é o ritmo das nossas vidas. 
Gostamos da sabedoria 
porque não temos sempre de a acabar. 
No eterno tudo está feito e concluído, 
mas as flores da ilusão terrena 
são eternamente frescas, 
por causa da morte. 
Irmão, recorda isto, e alegra-te. 

Rabindranath Tagore, in "O Coração da Primavera" 
Tradução de Manuel Simões

18 September 2012

CAIU A CONEXÃO


por Ana Veet Maya
Caiu na rede é peixe!

O tempo todo, o tempo todo, o tempo todo sem parar, hoje tudo é conexão e interatividade.

Televisão, rádio, telefone, interfone, iphone, iped, smarphone, Eletropaulo, Sabesp, COMGAS, Embratel, skype, msn, facebook, tva, net, vivo, sky, porto seguro, oi, nextel, tim, prefeitura, manicure, dentista, médico, hospital, teatro, cinema, supermercado, tudo, tudo é informatizado, tudo lhe oferece um menu de atendimento e tudo é feito “on”.

O mundo pode até deixar você ir dormir, mesmo em meio aos som infernal de buzinas e alvoroços mil. Mas seu celular precisa, ele tem, VOCÊ TEM que ficar “ON”.

Sua vida, sua privacidade, suas necessidades, seu peso, seu estado civil, seu almoço, a cor da sua calcinha, seu salário, seus sonho, sua indigestão, seu estado de espírito, sua depressão, suas dicas de salvação, tudo sempre “ON”.

Mas chega um dia que você vai ligar o celú e ele está mudo.

Aí você pega o telefone fixo pra se comunicar com a empresa e pedir providências pra consertar seu celular, mas descobre que seu telefone fixo está MUDO também
A empresa cortou, bloqueou, exterminou o seu número “por engano”...

Entonces, você liga seu computador pra fazer sua queixa on line. Mas descobre muito mal-humoradamente que a empresa está fazendo uma manutenção na rede e caiu a conexão!
Caiu a conexão??? 
Oh nãaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaao. 
Vai voltar quando? 
Só à noite? 
Meu Deeeeeeeeeeeeeeeussssssssssssssssssssssssssssss!
Sem telefone fixo, sem celular e sem internet?
Como você se sente?
Completamente travado.
Cabeça, tronco, membros e alma!
Dá um branco em tua cabeça.
Um aperto em seu peito.
Está SEM VOZ!
Sem meios de se expressar e pedir serviços e reparos.
Sem meios para compartilhar com o mundo o que bebeu no café da manhã!
Completamente sem possibilidades.
Sabe o que aconteceu?
Você está OFF.
E agora meu irmão? 
O que vai fazer?
Vai tremer?
Vai babar?
Vai gritar, espernear, ter um infarto de tanto ódio e desespero?
Você está OFF.

E pensar que o sol, a vida, o céu, o verde, as flores, os amigos, a alegria, tudo está sempre ON pra você, pra mim, pra todos nós!

Basta você se plugar... 
Se liga meu irmão!
Vamos aproveitar que o Universo e a falta da competência do sistema nos deu folga e desligou TUDO o que nos cansava, tudo o que nos roubava tempo e energia!

Vamos aproveitar a chance de estarmos OFF e sair de fininho, escapar de tudo que nos deixa tão conectados mas sempre tão sozinhos, protegidinhos nesse nosso mundinho cibernético...

Vamos utilizar nosso corpo e mente, nossa energia, nossos sentidos e toda nossa espontaneidade e bóra lá pra rua brincar, sorrir, chorar, viver, interagir face to face num chat natural sem microfones e câmeras, sem gravações e senhas protegidas, apenas a cara escancarada e o peito livre cantando a música do Caetano!



16 September 2012

CHEGA DE ESPERA. FELICIDADE JÁ!

por Ana Veet Maya


Estamos sempre esperando por algo...

Quando crianças, esperávamos chegar a adolescência pra fazer aquilo que nossos amigos mais velhos faziam, ir sozinhos no cinema, beijar, namorar, ter o próprio cantinho, começar a falar não pras coisas que não queriamos fazer, debater com nossos pais, encontrar nosso espaço no mundo.

Quando adolescentes, esperávamos ficar adultos, sair da casa dos nossos pais, morar sozinho, viajar pelo mundo, ser independente, ter nosso próprio trabalho pra pagar as nossas contas, explorar, conhecer, viver um grande amor...

Quando adultos, esperamos o sucesso na vida material e amorosa, o aumento de salário pra emplacar aquele projeto sonhado, a vivência de um amor verdadeiro, a construção de um lar, ter uma casa própria e um carro bom que nos leve com mais conforto aonde quisermos.

Esperamos que o mundo reconheça nosso trabalho, nosso empenho, esforço dedicação...

Esperamos o reconhecimento do nosso patrão, dos nossos familiares, dos nossos amigos, dos nossos parceiros...

Quando pais, esperamos que os filhos cresçam, que sejam saudáveis, que sejam bem sucedidos em seus próprios projetos, que sejam felizes, ainda mais do que o fomos.

Quando empregados, esperamos poder progredir, atingir o topo da carreira, fazer com maestria o que nos propusemos e receber dignamente pelo que fizermos.

Quando desempregados, esperamos para breve o melhor emprego que nos trará realização.

Quando estamos sem um par, esperamos ver surgir um novo amor, qualquer bom relacionamento que traga mais movimento, tesão e alegria para a nossa vida solitária e às vezes, monótona.

Mas quando num relacionamento, diariamente esperamos poder ficar mais sozinhos, o momento que o outro se distancie pra que possamos respirar mais livres e sem interferências, esperamos que o outro melhore, que o outro mude, que o outro seja a cada dia mais perfeito, aquele par-perfeito que buscávamos encontrar...

Quando estamos gordos, esperamos que chegue rapidamente a vontade e a disciplina pra fazer aquela dieta e eliminar muitos kilos, esperamos atingir o peso ideal que nos fará mais leves e saudáveis, mais felizes e socialmente aceitos.

Quando estamos muito magros, esperamos chegar a mais nova e potente vitamina do momento, a nova dica, o novo tratamento que nos tornará mais gostosos e em forma aos olhos do nosso espelho e aos olhos do mundo.

Quando estamos com pouco trabalho, esperamos que cheguem logo outras frentes, novas frentes, inúmeras frentes e múltiplos projetos que ocupem mais o nosso tempo e tragam mais prazer e realização, esperamos também mais recursos financeiros pro nosso dia-a-dia.

Quando estamos com muito trabalho, nos sentimos muito exauridos e explorados e esperamos que o trabalho se exploda, que termine de vez, esperamos ter a coragem e queremos acabar com tudo o quanto antes, esperamos conseguir mandar tudo pro inferno e esperamos finalmente poder dormir mais horas e em paz, esperando ser mais livres.

Quando estamos no verão e o sol queima nossas faces, esperamos que chegue o inverno pra usar nossas confortáveis lãs e dormir quentinhos e protegidos, de conchinha com nosso bem.

Quando estamos no inverno, amaldiçoamos o frio e esperamos sentir de novo o calor do sol de verão.

E quando viramos os cinqüenta, 
os sessenta, 
os setenta, 
esperamos que a ciência descubra 
novas formas de prolongar 
nossa existência terrena... 

Esperamos manter saudáveis e equilibrados nosso corpo, mente e alma, esperamos manter nosso vigor e o conhecimento que tenha nos tornado um pouco mais sábios, esperamos manter a nossa consciência e nossa capacidade de raciocínio, esperamos que nossa mente não se degenere tanto como os outros órgãos...

Esperamos enfim 
que a nossa juventude nunca acabe...



No fundo, no fundo, esperamos 
ser imortais...





Será que não estamos demasiadamente nas filas de espera, parados nas estações da vida, esperando o trem da mudança que às vezes pode estar quebrado e nunca chegar?

E esperando, esperando, esperando, vivemos sempre no futuro
sem nos dar conta de que 
o presente, 
zuuuuuuuummmmmmmmmmmmmm, passou!

Ontem nosso corpo era jovem 
e esperávamos a maturidade. 

Hoje somos maduros e esperamos o que? 

A chance de uma próxima vida? . . .


Que tal olharmos a nossa volta, reconhecermos a perfeição do universo, a perfeição desta casca, do corpo que ocupamos neste momento?








Que tal cancelar a preocupação com o nosso futuro
eliminar ou pelo menos baixar as expectativas que nos fazem sentir exaustos e sem energia?



Vamos respirar profundo e relaxar!

Vamos ser e viver com naturalidade e com menos desejos!

Vamos viver integralmente cada segundo, 
cada batida do nosso coração, 
cada respiração.
Vamos amar e abençoar a oportunidade 
que a vida nos dá agora, 
neste minuto, 
já!

Somos todos um!

Chega de espera. Felicidade já!





10 September 2012

ABANDONO DE CÃES

por Ana Veet Maya
texto dedicado a todos os moradores da Ilha do Bororé, que socorrem, abrigam e protegem os cachorros abandonados


Um mundo tão cheio de riquezas e belezas naturais, tanto progresso em todas as áreas, nas ciências, na tecnologia e nas artes em geral!






É tamanha a evolução material e a busca pela espiritualidade que chegamos a acreditar que muito em breve, a Terra deixará de ser um planeta de expiação para se tornar um verdadeiro paraíso de regeneração!

Mas com certeza, 
ainda precisamos 
aprender e agir 
muito e muito mais.

Não dá pra não se sentir ferido convivendo com tanto abuso, descaso, abandono e exclusão.

Sinto-me mal e pouco atuante, quero e sei que posso fazer mais!

São muitos os animais abandonados, mas nesta reflexão trago à tona a situação dos cachorros que são abandonados na Ilha de Bororé.
Temos ao nosso dispor várias reportagens e notícias.

Agradeço profundamente 
a todos os moradores da Ilha de Bororé
 que abrigam e alimentam os cachorros que lá são abandonados. 

Saber da sua atuação diária faz com que eu continue positiva e acredite que o ser humano ainda tem jeito.

É de cortar o coração ver o animalzinho desprotegido e confuso, correndo atrás do carro do dono que o abandonou sem dó.
Vários cachorros desistem depois da busca e se entregam à tristeza e à solidão;
Param de beber e de comer e deixam-se morrer.
Nós somos os papais e as mamães desses bichinhos!
Nós somos seu espelho, seu líder!
Eles são dependentes de nós!
Que coração insensível, que mente dementada é essa que abandona um ser dependente, muitas vezes doente, ao abandono total? Sem rumo, sem carinho, sem nada?

É fácil amar um bichinho pequenininho, peludinho e que dá pouco trabalho no início.
Mas pra tantas pessoas, fica bem mais difícil assumir o compromisso e a disciplina da criação de um animal, por dez, quinze, dezessete anos...
Aí, optam pelo abandono.
Por que, meu Deus?

Não me cabe julgar jamais.
Mas meus olhos estão abertos e minha alma sofre.

Escrevo este texto numa tentativa de conscientização e também para agradecer aos honestos e amorosos cuidadores e protetores dos animais. Minha admiração e amor por vocês, queridos irmãos de jornada, que compartilham sua vida e dedicam o seu amor, seu cuidado e seu tempo nesta batalha contínua de salvamento e proteção dos animais.

Peço aos meus amigos e leitores 
que não deixem de socorrer 
e amparar um ser vivente.

Amor com amor se paga. 
O amor que recebemos é o amor que compartilhamos!

Os animais 
precisam e dependem 
do nosso amor e do nosso cuidado





Por mais difícil que seja a situação, peça ajuda de amigos, procure ONG'S idôneas, 
mas não abandone seu animal!
CONHEÇA!

G   A   T   O   S   :
GATOS ABANDONADOS
IRIDÊ - SOS FELINOS :
https://www.facebook.com/projetososfelinos


C  A  C  H  O  R  R  O  S: 

Cachorros abandonados nas ruas :





ERIKA MOURÃO




VETERINÁRIOS PAGOS
- Cãopanhia das Rações, Clínica Veterinária e Petshop - 

Veterinário Maurício Gomes Santos
http://www.caopanhia.com

Pet Shop Santo Elias 
Veterinária Cristiane Biral
Rua Santo Elias, 448 - Tatuapé

HOMEOPATIA VETERINÁRIA - 
Veterinária Fernanda Valvassoura:
http://vetvip.blogspot.com.br 


ORIENTAÇÃO ON-LINE
DR ANDRÉ CARNEIRO
http://cirurgiavet.wordpress.com/2010/08/06/displasia-coxofemoral/

DISPLASIA COXO-FEMURAL :




LEIA TAMBÉM!
Nossos protetores fiéis

Abandono de cães

Sofia e Balu

Temaki meu gatinho amado

Aos que amam os animais incondicionalmente

Para Sofia




ESPERANÇA
por Ana Veet Maya

Agradeço ao Pai
E a tu amigo nobre
Que não se oculta
E não se encobre
De todos cuida com prazer
Do bichinho, do idoso,
Da plantinha e do bebê
Tu te entregas com ternura!
Ai meu Deus
Que amargura
Ver espalhada a solidão
Tem amigo que vagueia
Sem carinho, sem comida
Sem um lar e sem irmão.
Ai meu Deus
Por quanto tempo ainda
Viveremos esta desdita?
Este contraste injusto
Nos magoa o coração
Pra que tanto desperdício
Se podemos repartir o pão.
Sejamos pois cuidadores
Propaguemos a alegria
E tenhamos esperança
No raiar de um novo dia.







9 September 2012

AO MESTRE COM CARINHO

por Ana Veet Maya
texto dedicado a Professora e escritora Hebe Canuto da Boa Viagem de Andrade Costa

A vida 
é 
tão rápida 

muda, 
muda, 
muda o tempo todo.

Ainda ontem eu passava horas sentada no banco traseiro do Aero Willys do meu pai, lendo fotonovelas e esperando o Carlos passar de bicicleta... 

O futuro parecia tão longe, tão longe ainda...
Eu só queria estudar e me formar professora, namorar e ser dona do meu nariz.

Foi muito difícil entrar no Estadual da Penha.
Tive que estudar muito, fazer o curso de “admissão” e prestar exame pra concorrer a uma vaga.
Fiquei na rabeira e só entrei porque minha mãe sempre lutadora e sincera, foi lá explicar que eu era boa aluna, ficava nervosa quando fazia exames, tirava nota boa e precisava fazer a escola estadual.
Assim, consegui entrar para o Estadual da Penha em 1967.



Irani de Paula, Márcia Sangiorgi, Ivone Morallis, Letícia Pedroso, Celeste, Carlos Valadares, Rafael Filizolla e outros amigos chegaram neste ano e permanecem até hoje.

Naquele tempo, 
amizade 
era 
mesmo 
para 
sempre.







Com o Professor Jorge Campello, o teacher, aprendi o gosto pelo estudo do Inglês, a ter disciplina para estudar, ler, praticar e declamar. 
Sim! Ele me fazia declamar de classe em classe o poema THE FOUR LEAVES CLOVERS...
Graças a essa excelente formação e motivação do Teacher, tornei-me “Teacher” também...  
E hoje, quando participo do meu grupo de teatro, o Grupo Sensus, nas performances dos Polvos Poéticos, trago no coração um profundo agradecimento ao querido mestre que incentivou o desenvolvimento do meu gosto poético, da minha fluência e desinibição para falar em público. 
E pensar que fui uma adolescente tímida e hoje ministro cursos de oratória pra motivar e treinar pessoas a falar bem! (http://www.cameracao.com )

Já o professor Mário (o Mariô), seu carisma, sua elegância, seu conhecimento da língua francesa, desenvolveu em mim o gosto pelas viagens, pela beleza, pelo charme do passado e da história, representados pela língua francesa.
Mais de vinte anos após o ginásio e o colegial, visitando a França, percebi a força da aprendizagem ao caminhar por Paris e sentir todo meu conhecimento vindo à tona... 
Sim, o que aprendemos de fato, nunca esquecemos...


Com a Professora Gilda e o Professor Jorge, tive as ferramentas para me tornar desenhista, pintora, lidar com guache, nanquim, esfuminho, ângulos e perspectivas... São eles a base da artista plástica que me tornei.

Todas as outras matérias e professores foram importantes sem dúvida, mas meu gosto e dons para as artes, a paixão pela palavra e pelo estudo da mente e das filosofias criaram o link com os professores preferidos, tornando-os modelos para toda a vida.

Foi em 1971, quando comecei o curso “normal”, que tive a honra de ser aluna das melhores professoras que já conheci e que influenciaram meu caminho e a formação da educadora e terapeuta que me tornei: Professora Delma e Professora Hebe Canuto Boa-Viagem A. Costa.

Vivíamos ainda num tempo de muito controle, sociedade machista, valores tradicionais.
Foram as idéias e ideais que a Professora Hebe propagou que formaram as bases da mulher que me tornei: alguém que procura estar atenta e ser ousada, seguir o coração, compartilhar com respeito e sinceridade, ser natural, valorizar o outro como valorizo a mim mesma e respeitar a dignidade e liberdade de escolha de cada um.
Sexta-feira passada, dia sete de setembro, estive pela primeira vez num encontro de amigos do Estadual da Penha.

Foi grande minha emoção ao reencontrar a querida professora Hebe, 87, escritora renomada e premiada!
Escrevo este texto para homenageá-la e para compartilhar com todos e principalmente com os nobres amigos professores para que nunca esmoreçam e não tenham dúvida da importância de sua missão.


Sim, o salário é muito baixo, o sacrifício enorme, mas o prazer da realização não pode ser descrito.

Ser professor é ser estrela do “Missão Impossível”, ser comandante, médico e conselheiro da “Star Trek”, o esportista do “Poder Além da Vida” sem nunca perder a alegria e a chance de crescimento espiritual do “Ao Mestre com Carinho”...

Um salve a você, professora Hebe, aqui nomeada representante de todos os nobres mestres com os quais tive a honra de aprender.

Que Deus a proteja sempre e ilumine mais e mais sua trajetória de luz!

"... Instituto de Educação, meu vergel de amor e saber, onde o meu coração aprende a cantar, a sorrir, a viver!..."