7 December 2011

O QUE PENSAMOS E FAZEMOS

por Ana Veet Maya
Um amigo me enviou um texto de uma “Ex namorada arrependida” e pediu que eu comentasse.
Desde que o mundo é mundo, relacionamento nunca foi fácil, vide homem das cavernas e suas clavas... hehehe

O ser humano é um buscador por excelência.



Quando está saudável, ele não é monótono. 
Ele tem ritmo!

É condição de um ser saudável, ter ânimo pra criar, vontade, motivação, desejo de realizar.

O mesmo acontece em relação ao amor e ao relacionamento.

Ninguém gosta de uma relação chata. 
Nem homens, nem mulheres.
Antes de viver junto, a mulher está toda bonita, super carinhosa e preparada pra tudo, romântica, delicada, preocupada em cuidar do seu par.
O homem, todo másculo, super carinhoso e solícito, cavalheiro, provedor, preocupado em cuidar do seu par.

Se quando forem viver juntos a mulher ficar desleixada e barriguda porque abandona os exercícios, virar uma déspota faladeira e queixosa, preguiçosa de assumir sua parte no relacionamento exigindo que o homem faça tudo, ciumenta e controladora full-time e cheia de enxaqueca e bauxa libido e se o homem idem, ficar descuidado, fedido e desleixado, virar um menino maluquinho e desorganizado com todas as coisas esperando a “mamãe”,  reclamar de tudo... e se ele não fizer mais companhia e parar de sentir alegria por "estar num relacionamento", parar de valorizar a parceira, pouco-a-pouco deixar de "ser masculino" e um bom par inclusive na cama, pra agir somente como alguém que divide sem prazer o mesmo espaço...

Oras, se isso acontecer (e acontece com freqüência...), já não está havendo mais uma RELAÇÃO. Trata-se de um processo de acomodação, preguiça, medo de mudar... Pode ser qualquer coisa, mas relacionamento não é!

O e-mail da ex namorada arrependida sugere a mim apenas uma menina, ainda bem imatura, uma mulher que não sabe o que quer, alguém que ainda não sabe amar a si mesma, que não se conhece e, logo, não pode entender e valorizar o outro. Talvez uma pessoa emocionalmente instável, carente, quiçá portadora de umas dessas doenças comuns no mundo moderno, uma bipolaridade, uma depressão, um distúrbio de personalidade ou de humor qualquer que necessite ser tratado com terapia e ajuda de um medicamento.

Se liga:
ninguém transforma ninguém! 
Somos todos responsáveis pelo que somos! 
Não adianta culpar a vida, os pais, a sociedade. 
Somos nós os responsáveis por nossas escolhas, 
pelas portas que abrimos e as que fechamos.

Uma mulher ou um homem cafajeste, se não forem comprovadamente doentes, eles o são por opção.

Uma pessoa pode ser roubada e nem por isso se tornará um ladrão.

Alguém poderá ser violentado e nem por isso se transformará no algoz.
Um homem e uma mulher saudáveis que buscam desenvolvimento, ser maduros, responsáveis e conscientes, não culparão o outro por aquilo que são ou deixam de ser ou pelo que julgam ter perdido no processo de relação ou de separação.

Se você era uma mulher ou um homem romântico e de bem com a vida, um par amoroso para seu marido e ou sua esposa e foi traído, com certeza ficará triste e levará um certo tempo para superar.

Mas cicatrizada a feridinha, com sua auto-estima ok e você se sentindo total, estará aberto para um novo relacionamento.

Amorosidade e consciência a gente NÃO PERDE.
Se você era bom e deixou de ser, se era gentil e deixou de ser, se deixou de ser amoroso, cuidadoso com o próximo, dando vazão a ódios, raivas e ranços, provavelmente você NUNCA O FOI DE VERDADE.

A verdade permanece.

A mentira nunca se sustenta...


Só dá pra ser amoroso com o outro, quando somos amorosos com a gente!

Se somos egoístas e inconscientes, como exigir desprendimento e consciência de nossos pares?





Se você ainda está na época de curtir muitas baladas e azarações, ainda não é sua hora de buscar um relacionamento. 

Cada fruto amadurece a seu tempo.

Vamos evoluir, nos conhecer mais a fundo, nos aceitar como somos, belos e plenos e Sozinhos. 

Não dá pra buscar um par 
porque você não aguenta ficar só!
Não dá pra querer um outro que te preencha, 
porque você se sente meio vazio...
Não busque ninguém pra “tampar” sua panela, 
para ser a “outra metade da laranja”...

Se você ainda está nessa, pare e reflita.

Não dá pra viver a dois 
se você não souber viver só.

Quem não sabe viver só, 
não está em busca de um relacionamento. 
Está carente. 
Está em busca de uma bengala!

Abra seus olhos! 
Seja uno! 
Seja pleno!


Por favor, antes de continuar este texto, leia agora o texto de OSHO :
POR QUE É TÃO DIFÍCIL SE RELACIONAR



Leu?
E aí?
Entendeu?




Está pronto pra se RELACIONAR?
Sente-se bem em amar e ser amado, vivendo no passo e compasso, no ritmo da vida, que engloba tudo, todas as emoções, tudo junto e misturado?
Sente-se pronto para COMPARTILHAR?



Quem ama a si próprio, 
sabe amar o outro 
e SABE valorizá-lo.






Quando amamos, 
sabemos respeitar, 
valorizar as qualidades DO OUTRO 
e conviver com as não qualidades sem estresse, 
com compaixão e perdão. 
Afinal, NINGUÉM É PERFEITO!

Amar não enjoa.
Amar não cansa.

Mas se o amor pelo seu/sua parceiro (a) MUDAR, se vocês não quiserem mais compartilhar,
assuma a MUDANÇA com dignidade, 
com respeito, 
com amorosidade, 
com coragem.

Não se apegue ao passado!
Não fique chorando o “amor que perdeu”...

Ninguém é dono de ninguém.
O amor não é meu, nem seu.
O amor é!


Vamos aproveitar com alegria 
todo o amor que existe em nossa vida.

Vamos meditar! 
Se nos sentirmos doentes do corpo, da mente, da alma, procuremos AJUDA!
Vamos promover a nossa saúde, a saúde do outro e a do PLANETA.
Vamos buscar o equilíbrio e o perdãoQ

Se você está no momento presente vivendo uma relação doente e chata, desapegue-se!
Mude!
Tenha coragem pra recomeçar e seja muito feliz novamente!

Se você está vivendo uma relação com alguém que já não ama, só por acomodação, quando na verdade gosta de outro (a), seja corajoso, enfrente o desafio, desapegue-se do passado e da acomodação e assuma os riscos de recomeçar!
Não seja hipócrita, mentiroso, egoísta, manipulador.

Não use ninguém! ELEVE-SE!

Tenha dignidade e a sabedoria de colocar o ponto final no fim.

Se alguém gosta de ser maltratado de qualquer forma, se não valoriza um parceiro gentil e amoroso e sempre atrai parceiros manipuladores e violentos, com certeza, essa pessoa não está saudável.

Muitas mulheres gostam de homens muito masculinos e muitos homens gostam de mulheres muito femininas. 
Isto parece atraente e sedutor.
E parece natural!

A energia sexual 
é natural também! 
A energia sexual é potente, 
move montanhas 
quando bem utilizada.

Como é a energia sexual para você?
Flue naturalmente?

Ou você se sente dependente da energia do sexo?

Se somos dependentes de qualquer coisa, podemos buscar ajuda e tratamento.

A liberdade é natural.

A dependência é doentia.

Se você gosta de maus tratos e se liga com facilidade a pessoas cafajestes e de má índole que te maltratam o tempo todo e você, mesmo assim, não encontra forças para se afastar, está na hora de você se conhecer melhor e buscar ajuda.

Porque amor é gostoso. 
Fazer amor é gostoso e saudável.
É legal amar, ser amado.
Tudo pode quando faz bem a todos.
.


Quem ama, 
valoriza a beleza, 
 a verdade, a plenitude,      o desenvolvimento mútuo, o desapego, a magia do amor, a elegância, a serenidade, a cumplicidade e o amor incondicional.





Só você será capaz 
de transformar suas experiências 
de vida e amor, 
em degraus do saber, 
nesta aprendizagem terrena 
rumo ao aprimoramento do ser.

Felizmente, 
o amor poderá acontecer 
inúmeras vezes 
em nossa vida.

Amar é uma corrente ininterrupta.
Nós somos amor!



Vamos ser amorosos.
Sejamos gratos!
VALORIZEMOS TODAS AS PESSOAS!
Valorizemos o amor 
e tudo o que nos cerca.


Assim, com certeza, 
seremos valorizados TAMBÉM!

O Universo 
sempre retorna 
aquilo que pensamos e fazemos.


Haja luz! 
Haja amor! 
Haja paz!
Namastê!
anaveetmaya



Aqui está o e-mail que recebi:
Subject: leia isto!!!! e comente
Date: Wed, 7 Dec 2011 13:05:33 +0000


Quem transforma os homens em galinhas são as próprias mulheres
Tudo bem. Queremos homens legais, bonitos, inteligentes e românticos... Muito fácil falar, pois quando aparece um assim, de bandeja, a primeira coisa que a gente pensa é : Oba, me dei bem.

Ficamos com ele uma vez, duas. Começamos a pensar que esse cara é o cara que as nossas mães gostariam de ter como genros. Se sair um namoro, vai ser uma relação estável. Ele vai buscá-la na faculdade, vocês vão no cinema, num barzinho, ele lhe mandará flores, será gentil, carinhoso, vai ter sexo toda a semana... Tudo básico, até virar uma rotina sem graça...

Você vai começar a ver que esse cara é "perfeitinho" demais, chega a ser desinteressante, vai lentamente ficar entediada com tudo isso, chega a ficar com raiva!

Você vai olhar os caras "maus", talvez até um ex-namorado, bem humorado indo pra noite arrasar com a mulherada e vai morrer de ciúme. Vai sentir falta daquele sujeito que te fez sofrer, mas você, sem saber o porque, era louca por ele... Vai sentir falta das fortes emoções de se relacionar com um cara
canalha ou da vida de solteira, das baladas, das ficadas, das noitadas com as amigas...

Você pensa: "Acho que não estou pronta pra isso, pra me enclausurar pro resto da vida nesse namoro em que não tenho certeza dos meus sentimentos, não quero magoar o cara "bonzinho" ficando mais tempo com ele."

E o bom menino se transforma num "MALA", e aos poucos vai surgindo um nojo dele, uma aversão.



Quando tu vê o nome dele no celular, não dá vontade de atender, você pensa: "NÃO TÔ MAIS AFIM, NÃO GOSTO MAIS DELE, JÁ ERA."

Daí aquela promessa de vida estável vai por água a baixo, o menino não se dá conta, a gente começa ser indiferente, muito indiferente, às vezes grossa. E o pobre rapaz pensa: “O que eu fiz? não sou bonito, legal, inteligente, companheiro, bom o suficiente? Será que há outro, será que dá para confiar?”

Coitado, ele não fez nada e não há outro homem ou qualquer outra opção melhor que ele, a culpa é nossa mesmo... Então a gente termina tudo, afinal, não vamos magoar o cara "bonzinho" enrolando ele... Aí, a gente volta pra nossa vidinha, que a gente odiava até semanas atrás. A gente não vê a hora de sair, esquecer e arrasar na noite com a galera (galera aquela desprovida de caras bonzinhos como o nosso ex)..

Um dia até acaba voltando pra um cara "mau", voltando a ter fortes emoções ao lado de um cara que parece que não sabe o que quer, que lhe faz sofrer, mas que você, sem saber o porque, é louca por ele... Grande ilusão.

Você chega em casa depois da balada, às vezes sozinha e fica tentando descobrir porque você não está satisfeita. Ah! e pensa: "De repente foi porque o cara "mau", o lindo, gostoso, misterioso, ficou contigo, passou a mão, rolou algo mais (ou não)", mas nem sequer ligou pra você, e você no interior está insatisfeita sem saber direito qual a razão. Bom você diz: "vai ver ele não estava muito bem hoje, a galera não tava muito na pilha, foi uma situação ocasional, sei lá...", mas tenta arranjar um motivo para a tal insatisfação interior - FRUSTRAÇÃO.

Daí, por mais que você não queira, você pensa, de algum modo, no seu menino bonzinho que você deixou pra trás... (mas não admitindo muito, querendo fugir do tal pensamento, achando que é apenas um momento, que vai logo passar).

Enquanto isso, o bom menino, chateado, lesado, custa a entender o que ele fez pra ter te afastado dele... Daí essa dúvida vira angústia, ressentimento, que vira raiva. Aí o menino manda tudo a puta que pariu...


Não quer mais saber de nada, só de sair pegando muita mulher. Resolve não se envolver mais, pra não sair lesado, chutado, humilhado ou chateado... Muito bem, acabamos de criar um monstro...

O tempo passa e a gente continua na mesma... Volta a reclamar da vida e dos homens. Eles só querem as coisas com mulheres cachorras e não estão nem aí pra nós... Eles são assim por culpa nossa.

O homem canalha de hoje, era a bom menino de ontem... e assim sucessivamente...
Provavelmente, esse nosso ex-bom moço, deve estar enlouquecendo a cabeça de outra garota por aí...

E eu o perdi para sempre, ele virou um homem enlouquecedor, um dia o encontrei na balada e ele nem olhou pra mim.

Este é um desabafo de uma ex-namorada arrependida!

2 comments:

  1. Gostei dessa parte
    "Se você ainda está na época de curtir muitas baladas e azarações, ainda não é sua hora de buscar um relacionamento. Melhor optar por essa saída moderna do “ficar”... Assim, vai pulando de galho em galho e amadurecendo e aprendendo até chegar a hora que se sinta pronto para aprofundar uma relação." Temos um conhecido em comum que está assim :)

    :::
    Somos nossas escolhas.
    Correr atras do suposto tempo perdido na profissão errada tem sido minha busca.
    Deixa meu coração acelerado, minha boca seca, minhas chatisses aos 4 cantos...O árduo trabalho de se repensar a carreira profissional é dificil. O tempo perdido(segundo meu pai) fazendo voluntariados, projetos socio ambientais...poderiam ter sido meu alvo profissional. Mas, sou complicada(eu acho) sempre quis ter um emprego fixo(paga-se contas todo mês) e um tempo para os projetos(na epoca foi o q fiz) só que agora que DEPENDO do $ pra sobreviver e ajudar minha mae...o que me resta?
    Repensar.......Repensar...e fazer!

    ReplyDelete