27 July 2011

GORDA!

por Ana Veet Maya
Muitos aparentam aceitar o gordo do jeito que ele é, mas na primeira oportunidade tentam aconselhá-lo e enquadrá-lo na sua visão de medida certa ou na medida certa de qualquer emissora de TV...
Será que nós saimos pela rua dando opiniões e conselhos pros magros? Ou para os que usam óculos com lentes vencidas? Ou para os compulsivos pela endorfina ou pela barriga negativa?
Não!

Nós saimos pelo mundo dando conselhos pra quem esconde a careca com alguns fios do cabelo lateral, como o Peninha, personagem do Walt Disney?

Também não.

Cada ser é único.

O gordo também tem uma história.

Especialmente se ele já é gordo desde a infância, ele já aprendeu a lidar com o bulling e com julgamentos maldosos e perversos de todos os tipos.

Quando alguém quer um conselho, uma opinião, pede ou vai a um médico e paga uma consulta.

O gordo, como qualquer outro cidadão sintonizado, já sabe que deve se cuidar e fazer exercícios pra viver bem e ter qualidade de vida.

Se o gordo permanece gordo apesar de toda pressão social para que ele seja magro, das duas uma: ou se assumiu do jeito que é e nada faz pra mudar porque não quer, ou deseja emagrecer mas por problemas físicos e emocionais, não consegue.

Sempre fui uma gorda com bochechas coradas, com vontade de viver e sorrir e sem vontade alguma de me curvar à ditadura dos iguais...

Mas sou uma gorda flexível, consciente. Com alma magra! kkkkk

Hoje não sou mais escrava da mídia. Mas já fui...

Conheci todos os tipos de dietas e provei todas as anfetaminas.

Mas com remédios nunca consegui estabilizar meu peso por mais que um ano.

Meu corpo simplesmente ia voltando, voltando e plim! Lá estava eu novamente com o mesmo peso.

Através da ajuda de médicos, terapeutas e parceiros amorosos, comecei a parar de dar importância para o peso e aprendi a valorizar a vida, a saúde e o meu desenvolvimento mais consciente e pleno.

Desenvolvendo minha auto-estima, aprendi a valorizar o que há de melhor em mim, criando meu próprio estilo.

Quando desencanei da opinião do mundo e escutei meu coração, meu peso se estabilizou...
Nunca mais engordei e não mais sofri do efeito sanfona.

Entendi que ser gorda é meu jeito e faz parte do meu biotipo...

Amando a mim mesma, aprendi a aceitar melhor a todos, procurando sempre respeitar as diferenças e tentando não julgar.

Quero lembrar que o diminutivo “gordinha” muitas vezes apenas disfarça o preconceito.

Mas algumas pessoas gostam de nos chamar de gordinhos, para demonstrar afeto e aceitação.

Se o gordo está bem resolvido e se sente feliz, não se afeta com esses rótulos.

E também não fica esfregando na cara do outro sua "felicidade"...

Porque se estamos nos sentindo felizes, seguros e bem-resolvidos, não precisamos "provar" aos outros o quanto o somos...

Cada um que seja o que quiser.

Cada um que faça a dieta da moda que lhe fizer bem, mas, por favor, que não pretenda enquadrar o gordo no seu próprio padrão de beleza.

Vamos nos aceitar do jeito que somos, sempre respeitando a diversidade.
A decisão cabe a cada um.

Respeito é bom e o gordo gosta.

GORDURA MÓRBIDA é DOENÇA.                                                                             
Para viver com qualidade de vida, se você for gordo mórbido ou se sentir doente, procure ajuda do seu médico ou terapeuta!

9 comments:

  1. Adorei Ana! Verdade... existe essa ditadura...
    Confesso que vivo meio de banda nela... minha sorte foi descobrir um problema de saúde 'tentando emagrecer'... rs
    Chega de diminutivos!
    Bjssss

    ReplyDelete
  2. AnonymousJuly 27, 2011

    Que bom que se assumiu, Viviane! Agradeço o seu comentário e peço aos leitores que deixem sua opinião. Abraços! Ana Veet Maya

    ReplyDelete
  3. Nossa, adorei!
    Parece que era tudo oque eu queria dizer, mas nem sabia que queria, ta ligado ?
    Foi a porta voz de mim.
    Ah Anoca! adorei!
    Katita

    ReplyDelete
  4. Pausa pra respirar no " Gordinha é sua mente lenta que não exercita os neurônios" ...

    ReplyDelete
  5. AnonymousJuly 28, 2011

    Que bom que gostou, Katita! Divulgue! Fico feliz quando consigo interpretar o sentimento de muitos e ajudar a desatar os nós! hehe beijos Anaveetmaya

    ReplyDelete
  6. Ô, Ana, quando eu disse que a "coxinha maior é a mais recheada" foi em sentido figurado, não incentivo pra comer mais, hehehehehehehehe... ^^ A beleza sempre começa de dentro pra fora.

    ReplyDelete
  7. Caiu na "rede", é sempre bom a gente esclarecer, né? Porque quem não se comunica... rs Gosto de conversar sobre as possibilidades. E cada um entende do seu jeito. Beijos, Taty! Gosto muito da sua sinceridade e participação!

    ReplyDelete
  8. É Ana... é isso. Nada pior que a pessoa que diz "não sou preconceituosa, so gosto de quem se cuida", como se gordo não se cuidasse, e muito!! Muito mais que os magrelos de ruindade que tão tudo com colesterol alto, tendo ataques fuminantes, mas como estão "na moda" não tem problema.. A moda é passageira, assim como a beleza superficial que com o tempo enruga.
    Helena

    ReplyDelete