31 May 2011

FERNANDA BRAGA

31 de maio de 2011
Dia lindo!
Estas tardes de outono têm sido maravilhosas!
Céu azul, aquele solzinho de tarde.
Minha gatinha Matilda deita e rola no chão.
Lambe-se inteira e alegre deita na terra do jardim.
Fiquei muito feliz com o progresso de dois pacientes.
Como é bom trabalhar e sentir que nosso estudo, nosso trabalho e dedicação fazem a diferença.
Tenho me aventurado na cozinha e me divertido com minhas obras culinárias.
Nunca soube cozinhar, mas assistindo os vídeos da Carol não tem como não aprender.
Trabalho, família, gatos, cobertor, ginástica, roupas simples, cara lavada, teatro com o Grupo Sensus toda sexta-feira.
Como é legal estarmos abertos para a vida, venha do jeito que vier.


Final de tarde com uma surpresa vinda da Itália!
Parabéns Fernanda Braga!
Estilista brasileira fazendo sucesso em Nápolis!
Só quem conhece esta menina desde os 15 anos como eu, sabe dizer a garra que ela tem.
E pensar que muita gente fica esperando ter sorte!
Fernanda não espera.
Ela estuda e faz!
Sacou o recado?
Boa noite a todos e sucesso no Fashion Show ISD *, Fernanda!
* Fashion Show ISD
Dia 7 de junho
Museo PAN --- Palazzo delle Arti ---
Via Dei Mille 60, 80121
Naples, Italy

25 May 2011

O QUEIJO

por Ana Veet Maya
foto do blog: elielmi.blogspot.com
25 DE MAIO DE 2011
Hoje me detive olhando aquele senhor que ensaiava comprar um queijo branco.
Pegava um na mão, olhava com carinha de criança com vontade. E deitava o queijo novamente na barca.
Esforçava os olhos atrás das lentes, tentando ler os preços.
Repetiu o movimento três vezes e andando lenta e timidamente, dirigiu-se ao caixa apenas com uma bengala de pão.
Quantas pessoas neste momento estão se queixando da vida, mas sua cama é quente, sua mesa é farta, seu guarda-roupa transborda...
Estamos cercados pelos excessos, neste mundo com tantas carências. Inexplicáveis contrastes.
Compartilhar deveria ser a palavra. Somar. Repartir.
Mas para isso, há que se ver o outro.
Mas estamos tão cegos e enclausurados no próprio ser, que ver o outro fica quase impossível. Mesmo que ele esteja caído no chão da nossa calçada.
Sinto-me fraca nesses momentos. Porque minha parte é tão pequena...
Escrevo então a ânsia de respostas e caminhos.
E silencio.

18 May 2011

GRUPO SENSUS, toda sexta!

É um grande prazer fazer parte de um grupo tão sério, pura emoção e poesia: Grupo SENSUS.
Estamos em cartaz na CASA DAS ROSAS, toda sexta-feira, até dia primeiro de julho.
KÍNESIS: sobre o movimento, o tempo e recomeços. Logo na entrada, o público é vendado e conduzido pelos atores. Durante o trajeto, são estimulados através do tato, olfato, audição e viajam na interpretação da obra literária de autores como Leonardo da Vinci, Dante Alighieri, Juliano Hollivier e outros. Um espetáculo que acontece por três horas e permite que o público tenha liberdade de entrar quando desejar, de maneira ininterrupta.
Encontro você lá!
Venha nos "sentir"!


9 May 2011

BOA SEMANA!

por Ana Veet Maya
foto : http://wallpapers-diq.com/wp/90__Four_Seasons_Wallpaper.html
Muda tudo a todo o momento.
Meu corpo, meu rosto, minha expressão.
Mulher madura, um certo conhecimento, menos pressa, uma forma mais calma de encarar as montanhas da travessia.
Mudam as perspectivas. Os projetos.
Mudam os caminhos e as paisagens.
Chegam novos rostos, novas histórias, quantas histórias!
Tantas mudanças na vida.
E este meu coração é sempre apaixonado!
Encanta-me o nascer de cada dia.
E a cada respiração, uma nova inspiração, um novo gás.
O belo nos cerca.
A criação é para todos!
Compartilhar é tudo de bom!
O que de mais maravilhoso está segunda-feira nos oferece?
Vamos nos conectar com a perfeição, a alegria.
A cada respiração, novas possibilidades.
Vamos respirar!
Boa semana, meus amigos, meus familiares, meus irmãos de jornada!

(ANA VEET MAYA, terapeuta. Para agendar um atendimento envie um e-mail para anaveetmaya@cameracao.com )

1 May 2011

ALEGRIA

ALEGRIA, texto de Ana Veet Maya
foto: raqueluiza.blogspot.com / flickr.com /

Ainda menina, sempre quando eu voltava do Corinthians a pé, nada havia na minha mente a não ser beber água.

Caminhava com tanto cansaço, depois de horas de exercícios, que só o pensar na água descendo goela abaixo, já me dava alívio e alegria.

Entrava em casa correndo e ia direto pro tanque. Porque tinha que ser água de bastante, escorrendo abundante!

Bebia, bebia, até a barriga doer.
A alegria era imensa. Não dava pra medir.
E tudo estava certo.

Quando chovia forte e trovejava, minha avó pedia que a gente escondesse as tesouras.
Eu tinha medo que o céu fosse cair.
Mas uma vez assisti a um filme que mostrava duendes jogando boliche no céu.
O filme dizia que era isso o que provocava aquele barulhão...
Ficou tão simples tudo.
E nunca mais tive medo de trovão...

À noite eu tinha pesadelos, suava frio.
Meu pai vinha me cobrir e sorria pra mim.
Contava piadinhas engraçadas e puras.
Minha avó dizia que depois da meia-noite já começava a clarear.
Dizia pra gente não focar no escuro e sim, na luz.
De repente eu ouvia passos no corredor do quintal.
Era meu avô, madrugando pra ir trabalhar na feira.
Ele sempre dava uma tossidinha quando abria o portão.
E quando eu o ouvia, sabia que o dia estava raiando e eu vencera mais uma vez o medo da escuridão.
A vida continuava.

Eu adorava ver minha avó escovando os ternos do meu avô, enquanto ele se barbeava cantando as músicas de Nelson Gonçalves.
Casa em festa!
Família unida!

À noite meu irmão e eu pegávamos uma lanterna e brincávamos de cabaninha, iluminando por debaixo das cobertas.
Quantas viagens e risadas!
E tudo era simples e natural.

Minha mãe toda semana, comprava um pouco de guloseimas na feira.
Nossa vida era regrada e as guloseimas tinham que durar a semana toda.
A casa ficava em festa, cheirando bolacha, cheirando docinhos de leite, delicados e jujubas.

Os incentivos da minha mãe, os conselhos da minha avó, o canto do meu avô, o sorriso cúmplice do meu pai, a inocência do meu irmão, o cheiro da minha casa em festa, tudo isso ainda inunda minhas narinas e refresca a minha mente, massageia meu coração.

Alegria!



A alegria é mais forte que a dor. A alegria dá asas para a criatividade, traz paz ao coração. A alegria une os corações puros.


A alegria é simples. 
Não precisa de enfeites. 
Não precisa de dinheiro. 
Basta saber olhar.
Basta enxergar com os olhos do coração...







Hoje olho o mesmo céu azul.
As nuvens ainda formam desenhos.
E eu escuto “you are my special Angel till the eternity”...
E eu me emociono.
Que eu possa ser sempre alegre e expandir essa vibração.
( a foto ao lado foi sacada no Templo Zulai)




ALEGRIA, texto de Ana Veet Maya