27 March 2011

O MOVIMENTO DAS MARÉS

O MOVIMENTO DAS MARÉS texto de Ana Veet Maya
fotos de RAPHA PRETO
Vamos aprender com o movimento das marés.
Assim como a onda chega e a onda parte, vamos igualmente deixar chegar aquele amor, um novo sentimento, um jeito novo de encarar uma velha questão, aquela nova emoção, aquele frisson...
E na hora oportuna, igualmente deixar partir o amor, os velhos conceitos e preconceitos que fizeram de nós uma pessoa enrijecida, corpo duro, coração frio, mente e comunicação travadas, palavra amarga de quem não valoriza o doce da vida.
Vamos lembrar que tudo que começa termina.
É o movimento das marés também em nossa vida...
A onda da alegria termina quando chega a onda da tristeza. Mas a onda da tristeza acaba quando chega a onda da alegria...
Vamos acreditar na força da vida!
O que você perdeu, perdeu.
Aceite!
Chore se quiser desabafar, mas levante as mangas e parta para nova empreitada.
Na vida aprendemos vivendo!
A onda vai bater em você, pode até derrubá-lo.
Mas não foque no tombo.
Enfrente seu medo.
Deixe-se levar pela onda.
Calmamente.
Porque se você lutar furiosamente, poderá morrer afogado e nem chegar à praia...
Mas se permitir-se ir “fundo” sem desespero, conseguirá sair daquele rodamoinho, pegar a próxima onda que o levará para a praia a salvo.
Mesmo que você engula um pouco de água salgada e vomite, você chegará à praia...
Muitos morrem pela “força” insana e destemperada numa tentativa vã de enfrentar um perigo.
Mas será que adianta lutar mano a mano com a força de um maremoto de acontecimentos em nossa vida?
Lutar contra a corrente?
Será que temos fôlego pra isso?
Proponho que façamos da força das marés um exemplo pra nossa vida e uma força aliada!
Assim iremos de encontro a um novo tempo, um novo modo de fazer, um novo jeito de encarar nossos limites e às vezes, até superá-los.
Porque a força das marés dos acontecimentos do nosso cotidiano arrasta a todos nós, de todas as etnias, sexos, biotipos... As ondas de acontecimentos levam os magros, os gordos, carecas, cabeludos, arrasta também os que têm espinhas e cicatrizes assim como os que têm carinha de bundinha de bebê... A força dos acontecimentos que nos impactam mexem com todos nós, mexe com os barrigudos e com os sarados também!
Tem vezes que parece que nem bóia adianta.
É uma força tão grande que vira barcos e navios.
Mas num momento de crise, podemos igualmente usar essa força pra nos trazer inspiração ao invés de destruição...
A onda traz amigos pra perto.
A onda leva amigos pra longe.
Esse movimento também traz à tona sujeiras do fundo, os turbilhões da nossa alma.
Também leva tudo pra baixo, deixa tudo encoberto e protegido nas couraças dos pensamentos e desejos não realizados, afundados como barcos no nosso cotidiano, levados por correntezas inesperadas da vida...
Aprender com o movimento das marés é aprender o tempo todo.
Maré alta.
Maré baixa.
Tempo para tudo na nossa vida!
Aprender a nadar, mergulhar fundo, nadar de costas, nado borboleta, boiar...


Saber ter estilos diferentes para ondas de vida diferentes...
Saber ousar, de vez em quando surfar, por que não?
Quanto nos ensina o movimento das marés...
Mas temos que querer aprender.
Eu quero.
E você?

(O MOVIMENTO DAS MARÉS texto de Ana Veet Maya)


Ana Veet Maya, terapeuta, massoterapeuta, arte-educadora

Marque seu atendimento: cursos@cameracao.com

No comments:

Post a Comment