14 May 2010

NO WAY

por Ana Veet Maya

O passo é assustado
Cega e surda multidão
Ouço um grito, um estouro
Mais um corpo cai ao chão.

Solitária e tão insana
Segue a vida na cidade
São mil vozes que emudecem
Mil mentiras sem verdade.

E o teatro do agora
Segue impávido colosso
Para muitos caviar
Para outros, só o osso.

Tic tac e o relógio
Segue frio seu movimento
Mentes mortas, corpos mortos
Sem protesto e sem lamento.

1 comment:

  1. Florafdacosta@hotmail.comMay 14, 2010

    A realidade bjbjbjbj

    ReplyDelete