31 May 2010

A CURA

por Ana Veet Maya                                                                                                                  





Chocolate quente
Ou do café, a borra
Até que da serpente
Todo veneno escorra.

O doce vai me curar
Ó céus, eu bem mereço
Bombocados e manjar
Sucesso, não só tropeço.





Dá-me o acesso a tua liga
Dá-me o toque da tua calma!
Ó, diga sim, diga siga
Tire o amargo desta alma!
( a foto que ilustra esse poema é criação da Chef Carolina Costa da OPHICINA GOURMET - http://chefcarolinacosta.blogspot.com/ )

E O VAZIO EM MINHA MÃO

por Ana Veet Maya
Nem parto, nem porto
Nem saúde, nem olho torto
Nem caminho, nem perdição.
E o vazio em minha mão.

Nem cheia, nem maresia
Nem calor, nem noite fria
  Nem amor, nem desilusão.
E o vazio em minha mão.

Nem carinho, nem promessa,
Nem o tédio, nem casa em festa,
Nem poesia, nem solidão.
E o vazio em minha mão.



Nem tão santo, nem profano
Nem tão correto, nem tão insano
Nem teu algoz, nem teu irmão
E o vazio em minha mão.

28 May 2010

SOCORRO! MEU FILHO ESTÁ USANDO DROGAS!

Texto de Ana Veet Maya - 2010
- Socorro!Meu filho está usando drogas, preciso da sua ajuda. Não sei o que fazer!

São essas as principais frases que ouvimos no CAPS (Centro de Atenção Psicossocial)de pais, mães e familiares em geral que nos procuram chorosos, assustados e carentes, solicitando nosso apoio e uma solução bem rápida.

São jovens frutos de famílias como a minha, como a sua e poderiam ser meus filhos, seu sobrinho, meu vizinho, meu irmão.

São jovens com histórias, muitas histórias, como todos nós.

Uns já com um passado pesado, outros com crimes, alguns chegam algemados e só são soltos para ficar conosco durante o tratamento.

Muitos jovens já chegam com o olhar meio morto e apagado. Sem esperança. Sem vontade.

Comparecem apenas porque são obrigados pelos juízes e para que possam ser soltos com mais rapidez.

Somos muitos profissionais de diversas formações, psicólogos, educadores, médicos de todas as formações, psiquiatras, arte-educadores, assistentes sociais:a equipe dos CAPS é composta por profissionais experientes e com rica formação.

Se você me perguntar se temos sucesso no nosso trabalho, eu responderei sim, pois sempre há melhora, embora sejam poucos os jovens que fiquem completamente abstinentes e não recaiam nunca mais no uso da droga. A dependência química é de fato uma doença. E quem já esteve doente uma vez, necessitará ficar atento e cuidadoso pelo resto da vida!

Como fazer pra mostrar pra esse jovem que algo tão gostoso e de efeito tão imediato como a droga, não vale a pena ser usado?

Porque o jovem quer colorido. Ele quer todas as cores ao mesmo tempo...
Ele quer o inusitado. Quer todos os sabores.Quer alegria e muitas risadas.
Ele não tem tolerância. E ele não quer tristeza e nem monotonia.
Ele quer prazer garantido e imediato.Tudo muito imediato.
E ele não pensa na morte...

Nós, os profissionais envolvidos no trabalho do CAPS, gostaríamos de poder ajudar os familiares que nos procuram e dar soluções prontinhas para que todos nossos jovens parassem de usar drogas.

Mas infelizmente, não temos receitas milagrosas...

Cada caso sempre se mostra como único.

O que serviu para Raul, não serviu para Maria.

Pedro foi internado e nunca mais voltou a usar.

Rosana parou de usar indo todo dia fazer terapia e participar de oficinas no CAPS.

Santiago aprendeu a usar outras drogas lá onde ficou internado e seus pais pagavam uma fortuna...

E Júlia começou a traficar dentro do presídio.

Altair diz que usa drogas porque tem carência de mãe.

Luís chegou pra mim um dia e falou que tinha simplesmente parado porque começou a namorar e a namorada o ajudou...

Antonio ficou sem beber um ano e recaiu agora porque sua mãe morreu.

Vanderlei nunca mais usou desde que sua mãe morreu.

Luís trabalha o dia inteiro, mas toda noite bebe até cair.

Carmem só parou de fumar quando recebeu o diagnóstico de câncer nos pulmões.

Jorge só usa droga no final de semana. E passa a semana inteira contando os minutos pra mais um fim-de-semana.

Cristina vende o corpo pra poder comprar droga.

Laurinha diz que agora vai ter um bebê e não vai mais usar droga. Ela tem treze anos.

Marli ficou sem usar nenhuma droga nos cinco meses de tratamento, enquanto estava protegida pela instituição e vinha para o CAPS diariamente. Assim que teve a liberdade, voltou imediatamente para a turma e para o crack. Morreu assassinada quatro meses após ter ganho sua liberdade.

Marluce só usa ecstasy quando vai nas raves com a turma: - Só eu não vou usar?

Lino só fuma maconha pra dar risada e falar muita besteira com os amigos e depois comer muito. Agora se sente traumatizado porque está muito gordo e não consegue emagrecer.

Sara adora beber porque diz que quando bebe consegue mais namorados.

Hugo disse que se não tomar uma bala, não consegue curtir a música.

Já o Fabrício afirma que tudo o que toca e escreve, vem da criatividade que a droga desperta nele: - A droga abre um portal em mim!

Lurdinha diz que é muito nervosa e que a maconha a acalma e a deixa ficar “sussa”.

Ao longo dessa nossa experiência, nós, profissionais do CAPS, vamos colhendo depoimentos de vida, prazer e morte.

Algumas palavras vão marcando minha vivência: tédio, solidão, monotonia, carência, brisa, falta de motivação, fracasso, sucesso, prazer, alegria, relacionamento, dor, amor.

Como descobrir saídas inovadoras e únicas?


Que porta abrir? Qual fechar?


Algum discurso poderá ajudar? Qual poderá soar menos conservador, menos careta?


Remédios poderão auxiliar?


Como ajudar uma família a desatar o nó da relação?

Todo tratamento precisa ser único. Ser consciente de que se precisa de tratamento, é o primeiro passo.

Enxergamos aquele jovem como uma nova semente. Uma semente unica! Com todas as possibilidades e todo o mistério da vida. Que a vida é sempre um mistério único... e cada "semente" se desenvolverá de um jeito, mesmo sob as mesmas condições.
Não adianta você, pai ou mãe, querer promover para seu filho aquilo que seu vizinho promoveu e deu certo. Ou aquilo que viu na TV. Ou aquilo que leu no livro.

Calma! Não desanime!
Toda experiência que acumulou, lhe servirá como base.

Fortaleça seu coração e sua coragem. Porque seu filho poderá cair e recair muitas vezes.
E você não poderá recuar e perder a vontade.

As pessoas envolvidas no processo de cura da dependência química, tem que perseverar, continuar, não esmorecer, seguir na busca de caminhos inovadores para curar o dependente, normalmente tão envolvido pela mentira do prazer ilusório que a droga oferece.

PRIMEIRA ETAPA - 
DESINTOXICAÇÃO
Primeiramente, devemos desintoxicar o paciente. Proporcionar-lhe opções para se afastar da droga e limpar seu organismo. Isso pode ser feito com prescrição de remédios e cuidados especiais num serviço de atendimento intensivo ou semi-intensivo. Quando o caso for muito grave, às vezes, a desintoxicação pode requerer uma internação. O médico psiquiatra e o clínico geral ajudarão a família com a escolha do melhor tratamento.

Quando temos nosso paciente desintoxicado, começamos a segunda etapa.

SEGUNDA ETAPA - 
INVESTIGANDO O POR QUÊ
Precisamos investigar. Ir fundo no problema.
Entender como começou.
Que portas e janelas foram abertas?
Quais as carências que a droga está encobrindo?
Que tristezas estão encobertas? Quais traumas? Por que meu filho está tão desmotivado? Por que ele sente tanto medo de enfrentar um compromisso? Por que ele está tão preguiçoso? Por que ele está tão agitado? Por que ele se refugia no silêncio toda vez que eu quero conversar? Por que eu quero conversar apenas quando ele está em silêncio? Quando foi que meu diálogo aberto e sincero com meu filho acabou? Quando foi que eu deixei de enxergar a realidade e passei a disfarçar, porque não tinha tempo para atuar?

TERCEIRA ETAPA - 
ENTENDENDO A FAMÍLIA E OS RELACIONAMENTOS
Precisamos encarar a nossa família sem medo.
Enfrentar uma análise profunda.
Deixar sangrar a ferida. Expor a ferida. Sentir a dor.
Descobrir aonde faltou o pilar, onde exageramos, onde nos omitimos.
Onde não colocamos os limites?
Onde cerceamos ou coibimos a criatividade pelo excesso de limites?
Onde usurpamos a liberdade do nosso filho?
Quando foi que os manipulamos com os títeres invisíveis escondidos na afirmação “sou seu pai, sou sua mãe e sei o que é melhor pra você”?

Não devemos nos prender ao passado. " - No meu tempo eu era assim, fazia assim e assado..."
O passado nos ajuda a entender o presente.
Mas não vai adiantar muito apenas investigar o passado para buscar culpados.

Vamos deixar de lado essa nossa necessidade de sempre emitir um julgamento sobre certo e errado e quem errou mais ou menos.

Muitos pais apenas se enchem de culpa e passam a mimar seus filhos muito mais ainda e, portanto, errar ainda mais pelo excesso e a falta de limites!

QUARTA ETAPA - 
MATURIDADE PARA LIDAR COM O PROBLEMA
Para lidar com um problema tão complexo como a droga, precisamos maturidade.
Precisamos desenvolver a paciência. A sabedoria. A persistência.
Precisamos ter foco.
Muita compreensão.
E precisamos ter muita, muita, muita amorosidade.


QUINTA ETAPA - 
ENTENDENDO O PRAZER
Precisamos nos colocar no lugar do outro e entender... 
E entender não é julgar.

O prazer do seu filho pode ser bastante diferente do seu.

Cansei de ouvir jovens que dão muita risada de suas mães que os criticam por usar maconha, mas que fazem dietas intermináveis usando anfetaminas, engordando e emagrecendo a vida inteira, num efeito sanfona interminável.

Jovens que não entendem como seus pais, confessadamente compulsivos sexuais, podem lhes dar lição de moral só porque estão cheirando uma carreirinha.

- Meu pai enganou a minha mãe a vida inteira. Ele mente que está trabalhando e está trepando com todas as mulheres que conhece.

- Minha mãe vai ela mesma comprar a erva pra mim. Porque ela diz que está me protegendo. Assim pelo menos eu fumo em casa.

-Minha mãe nunca teve muito tempo pra mim. Ela trabalha muito.

-Eu cuido do meu irmão mais novo pra minha mãe trabalhar. Meu irmão me dá muito trabalho. Tenho que fumar pra poder agüentar aquele choro.

- Meu pai gosta mais do meu irmão. Ele nunca teve muita paciência comigo mesmo. Comigo ele só grita.

-Eu estou estudando o que meu pai quis. Mas eu não quero ser que nem ele não.

-Minha mãe é muito frustrada. Não dá certo com ninguém.Quem é ela pra me criticar?

-Meu pai me apresentou a droga. Ele sempre fumou comigo. Ele diz que assim não faz mal.

-Minha mãe fumou cigarro a vida inteira. E meu pai bebe. Não vejo diferença entre as drogas que eles usam e a minha.

- Eu fumo porque eu gosto da brisa. Minha vida é mesmo um saco...

- Minha mãe é muito careta. Ela pega muito no meu pé. Agora ela quer que eu arrume a casa e lave minhas cuecas! Mas eu não me importo em usar tudo sujo mesmo. Lavar pra que?

-Não dá pra ir numa festa e não usar nada. Não tem graça! Todo mundo usa e você vai ficar fora? Sem turma?

-Eu descobri o crack dançando na matinée do domingo.Agora não consigo mais parar.

Esses são apenas alguns desabafos, algumas afirmações dos jovens que desabafam conosco suas interrogações perante a vida e sua confusão pelas ações dúbias dos adultos à sua volta.

SEXTA ETAPA : 
ASSUMINDO PAPÉIS

Nós, os chamados adultos, precisamos nos conscientizar que somos sim os exemplos dos mais jovens.

Se o mundo está em crise, se as bombas explodem no exterior e no interior de cada um de nós diariamente, como minimizar esse efeito maligno de destruição no interior confuso e tão tenro, desse nosso jovem em formação?

SÉTIMA ETAPA : 
DICAS PARA PAIS E FAMILIARES
Precisamos fazer um exercício e abolir o julgamento, abolir o pré-conceito.
Você é você.
Você não é o seu filho.
Não queira fazer do seu filho um mini-você.

Comece o tratamento de seu filho, iniciando o seu próprio tratamento.
O que é que nós já sabemos sobre a excelência da nossa individualidade?
Estamos nos sentindo felizes? Realizados? Seguros? Serenos? Conscientes? Equilibrados?
O que estamos fazendo por nós mesmos?

OITAVA ETAPA : 
AS NOSSAS ESCOLHAS
A escolha dos nossos filhos é a escolha deles e não a nossa...
Comecemos o tratamento do nosso filho, procurando primeiramente o melhor tratamento pra nós mesmos!

Há que se ter HUMILDADE...
Não vamos conversar com nossos filhos, mostrando nossos dogmas, nossos valores, nossas marcas adquiridas pela vida. Nossas fórmulas, nossas conquistas e nossos medos!. . .

NONA ETAPA : 
O DIÁLOGO
Vamos conversar com nossos filhos pra conhecer os valores deles.
Os desejos e aspirações deles.

Vamos nos abrir para o diálogo.
Vamos ouvir! 
Mas ouvir não é julgar.

Vamos compreender. 
Compreender não é excluir, nem julgar...

Vamos abrir as portas. Vamos abrir as possibilidades.

Vamos pensar juntos.

A vontade autêntica de compreender sem julgamentos, a aceitação natural do fato tal como ele é, sem aumentar, sem diminuir, sem vaticinar um fim horrível e fatal, já abrirá uma ponte de diálogo muito franco entre o adulto e o jovem.

DÉCIMA ETAPA : 
PERSEVERAR NA DECISÃO!
De todos os tratamentos que participei, os que deram mais certo foram os que envolveram em primeira lugar a decisão do jovem em parar com o uso da droga, aliado ao tratamento no CAPS com todos profissionais e a participação intensa da família, sempre amparada e tratada pelos profissionais do CAPS.

LEMBRE-SE:
Um tratamento não acontece apenas no ambulatório.
Nem apenas na família.

Precisamos aliar a decisão de parar com a droga ao tratamento no ambulatório e a ajuda da família e o seu tratamento também!

Jovens doentes e dependentes, famílias igualmente doentes!
Portanto, para tratar o jovem, tratamos a família inteira!




JOVEM, LEIA AQUI!

Se você é jovem e está lendo este texto, APRENDA que precisa de fato tomar a sua decisão.

Faça sua escolha.
Você. 
Só você! 


Porque você é dono da sua escolha. 
E você será feliz ou sofrerá por causa dela.

Pesquise sobre a droga que você usa.
Pesquise fundo.
Veja o que ela faz no seu cérebro.
Veja o que ela faz com o seu corpo em geral.
Olhe a sua volta.

Aprenda com os exemplos ao seu redor.
A vida é curta. Não temos tempo pra testar tudo o tempo todo, correndo sempre mais e mais riscos e errando sempre nos mesmos pontos que outros já erraram.
Podemos aprender com o erro do outro...

TOME  a decisão sobre a sua liberdade.
A escolha primeira é sempre sua.

Você quer a liberdade de poder escolher?
A liberdade de poder ir e vir? De poder se desenvolver e ser de fato tudo o que quiser ser?

Se você quer tudo isso, você está escolhendo a liberdade.


Porque a droga, de fato, é uma prisão.
Ela lhe prende com algemas douradas e invisíveis.
Ela lhe prende tão sutilmente que você por vezes não reconhece que está preso.

A droga lhe dá um prazer maravilhoso.
Você fica feliz imediatamente.
Mas ela lhe aprisiona em redes e laços tão sutis que nem você mesmo perceberá.
Porque o prazer que a droga lhe oferece é muito passageiro. É pura ilusão.
E quando você volta a si, o problema ainda é o mesmo ou pior.
E nas tuas viagens, você também poderá ter uma bad trip...
E o desconforto do "depois" ? Também é doloroso!

SAIBA:
Você dirá que pode parar quando quiser.
Você dirá que tem o controle sobre o uso.
Você dirá que é melhor morrer usando a droga e ser feliz, do que viver uma vida monótona e sem cor.

Mas se você decidir parar com a droga, você terá ainda tempo de descobrir outras cores legais pra vida. E fazer sim a diferença! Mas não existe saída para quem quer se esconder no descaso e na inconsciência.





Querido jovem que me lê : 
é você quem precisa dar o primeiro passo!

Escolha: 
a vida com liberdade ou a prisão da droga?

Se a sua resposta for a LIBERDADE, começaremos aqui o nosso trabalho.






PROCURE O CAPS!

Converse com alguém da sua família e procure diretamente uma equipe do CAPS.

O CAPS lhe ajudará a abrir a primeira porta.

Junto com você e também sua família, o CAPS irá auxiliá-lo a descobrir novas portas e buscar outras saídas.

Você pai, você filho, saiba que é de fato difícil parar com a dependência química...
Mas se você quiser MESMO parar com o uso da droga, você pode!

Já escolheu parar com a droga? Então corra! Procure um CAPS!
Todos nós estaremos com você e seremos seus parceiros nesse caminho de volta à liberdade!

Vamos nessa?
(Escrito e postado por Ana Veet Maya, 2010)

Quem é Ana Veet Maya:
Escritora, profissional do CAPS AD-PENHA de 2005 a 2009 e do CAPS-ERMELINO MATARAZZO : 2010 ) . 
Professora, arte-educadora, terapeuta, massoterapeuta.
Criou e ministra desde 2003 ao lado do jornalista conhecido como Titio Marco Antonio da KISS-FM, o curso de oratória PRA VOCÊ FALAR BEM (www.cameracao.com )
Contato: anaveetmaya@cameracao.com












LEIA MAIS SOBRE DROGAS, DEPENDÊNCIA QUÍMICA, CAPS-AD
"...Deixem que isso fique registrado: a não ser que o homem encontre a droga autêntica, que está em seu próprio ser, não existe força alguma na terra que possa proibir o álcool, que possa proibir a maconha, que possa proibir o haxixe, que possa proibir o LSD. Mais e mais drogas surgirão e o que causa espanto é que as pessoas que estão tentando proibir essas coisas — noventa por cento delas, elas próprias são usuárias de drogas."OSHO


O QUE É O CAPS
http://portal.saude.gov.br/portal/saude/visualizar_texto.cfm?idtxt=29797&janela=1

http://www.sermelhor.com/artigo.php?artigo=28&secao=espaco

http://saudementales.files.wordpress.com/2007/06/caps.pdf

LISTA DE ENDEREÇOS DE ALGUNS CAPS-AD
caso não abra, copie o link e COLE no seu NAVEGADOR!
http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/saude/arquivos/saudemental/CAPS_end.pdf

http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/saude/arquivos/saudemental/CAPS_end.pdf 

http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/saude/arquivos/saudemental/CAPS_end.pdf

http://pharosinfo.blogspot.com/2006/01/caps-ad-da-cidade-de-so-paulo.html







Comentários:
FloraFdaCosta@hotmail.com disse...
Oooooootimo bem realista e profundo gostei....
Maio 02, 2010

Thais Fernandes Schenato disse...
Ana... há tempo leio seus textos e nunca os comentei. Que facilidade de expressão. Ótimos textos, ótimas reflexões. Esse sobre as drogas, sobre o trabalho realizado por vc e toda a equipe, a explicação do CAPS... tudo fantástico. Parabens... saiba, q mesmo em silencio, fico observando e lendo seu blog! Um beijo com saudades da prima!
Maio 03, 2010

Ana Almgren disse...
Oi, Ana.
Acabei de ler e te digo, gostei muito. A despeito do "peso" do tema, tudo foi tratado de uma maneira doce e sensata, sem exageros ou pieguice. Parabéns pelo seu trabalho!
Beijos,
Ana Almgren
Maio 03, 2010

cristina disse...
Ana
Adorei mais esse texto que sem duvida, servirá de suporte para nossa equipe de trabalho.
beijos
Cris Viscome
Maio 08, 2010

25 May 2010

O RITMO VEM COM A CAMINHADA

Texto de Ana Veet Maya

Para termos uma boa comunicação, precisamos desenvolver várias habilidades e procurar ser sempre um aprendiz, um buscador.

Todo aquele que se acomoda e para de buscar, aquele que acredita que já atingiu o seu melhor e que assim já está bem, começa a estagnar e decair.

Uma grande inimiga da boa comunicação é a preguiça em investir na mudança.

Escondemos nossa preguiça tão bem!

Nós a camuflamos sob os mais diversos títulos: falta de oportunidade, falta de tempo, excesso de trabalho, culpa do "outro" que não nos deixa fazer isso ou aquilo, falta de dinheiro, falta de amor, falta de saúde...

Mas quem é dono de nossa vontade?

Quem é dono da nossa decisão?

Apenas nós mesmos temos o livre arbítrio sobre todas nossas decisões.

Para que haja crescimento, precisamos desenvolver o conhecimento e deixar nossas portas da percepção sempre abertas para o "novo".

Mas abrir as portas para o novo significa enfrentar nossos próprios medos.

E enfrentar o medo, é verdadeiramente assustador!

A rotina não assusta. Mas o novo sempre assusta!

À medida que nos conscientizamos que somos os únicos responsáveis por nossas escolhas, fica bem fácil nos abrirmos para o novo e pelo menos arriscar e "tentar".

Podemos tentar novas coisas todos os dias.

O mundo moderno facilita nossa comunicação com todos os continentes.

De norte a sul, de leste a oeste do planeta, com certeza você sempre descobrirá coisas novas que poderia aprender e acrescentar ao seu dia, para torná-lo mais colorido, interessante e pleno.

E entre as várias ferramentas do saber, sobressai-se ainda a leitura como uma excelente forma de agregar conhecimento, desenvolver nossas idéias, nossa criatividade, melhorar nossa expressão, ampliar nossos horizontes e desenvolver um belo linguajar, digno da língua bem falada.

Isto porque sem um bom vocabulário, dificilmente conseguiremos nos comunicar bem com todos e acabaremos por nos limitar a apenas determinados grupos.

Mas a boa comunicação não quer nenhum limite, nenhuma barreira.

Abra-se ainda hoje um pouco mais para o novo!

Quem sabe um novo penteado, uma nova maquiagem, um novo tom de cabelo, um novo corte de terno, um novo hobby, uma nova prática esportiva?

Quem sabe até mesmo um novo amor?  Ou um novo emprego? Uma mudança de moradia? Uma nova postura frente a seus filhos? Seus pais ? Seu colega de trabalho ?

Tente.

Você vai perceber que pra tudo na vida o que vale mesmo é começar.

E depois, perseverar!

O ritmo vem com a caminhada.

(CONHEÇA nosso curso PRA VOCÊ FALAR BEM!)
www.cameracao.com 

(Postado por anaveetmaya às 5/07/2009 07:37:00 PM )
Ana Veet Maya, terapeuta, massoterapeuta, ATENDIMENTO: anaveetmaya@cameracao.com

FAZER AMOR : RECEITA DE BEM-VIVER

Conto de Ana Veet Maya

O dia amanheceu em paz.

O vento tocou carinhosamente minha face e acordou o meu corpo e a vontade.

Olhos negros sorriram pra mim repetidas vezes.

Silêncio.

Uma imagem presente e concreta.

Respiro. Languidamente.
Um cheiro de madeira me dá prazer, hoje, agora e mais outra vez.




A sua presença, tão masculina, tão sedutora, seu gosto grudado no meu suor.

Coxas que se enrolam às minhas, braços que me apertam e me mostram desejo, uma força vital.

Pura energia!

Somos vitais.

Sua voz me incita e excita, me faz viajar.

Escuto os pássaros e os latidos.

Escuto os grunhidos da massa que geme e grita enraivecida, carente de amor.

Eu amo.

E mais um arrepio que sobe por minha coluna e chega na minha nuca... Energia em movimento. Vida em movimento. Saúde e alegria!

Você me toca. Sua língua lambe minha orelha enquanto sua voz rouca sussurra palavras primitivas.

Somos primitivos.

E eu quero sim este momento intenso de prazer, este desejo que não tem começo e nunca termina.

Um calor, um tremor toma conta do meu corpo e estou em êxtase, totalmente imersa nessa energia gostosa que compartilhamos!

Beijos e abraços e risos.

A razão se afastou. Trancamos a mente. Somos corpo e coração. Quentes. Integrados. Ritmo! Vida! Pulsação!

Somos magia e loucura. Agora. E mais outra vez.

Meu corpo, seu corpo, nossa terra, nosso mistério que compartilhamos.

Você me beija profundamente e me rouba o ar. Respiramos juntos...

Estamos possuídos pelo universo! Somos a terra.

Homem e mulher.

E eu salto e tremo e suspiro e gemo.
Estremeço.
Perco a noção do espaço e a noção de mim, tão integrados estamos!

E bem ali, testemunha de nosso amor, sempre ela, a chama do desejo e da paixão...

Meu ser inteiro entregue ao prazer.

Saúde e plenitude.

O não mente. O aqui e agora.

Fazer amor: receita de bem-viver.
(Postado por anaveetmaya às 4/16/2009 09:14:00 AM)

Ana Veet Maya, terapeuta, massoterapeuta, ATENDIMENTO: anaveetmaya@cameracao.com




2 comentários:
Anônimo disse...
Tão bom passar por aqui e ler tudo isso!
besitos com cariño
patt baleeira
Abril 26, 2009

Anônimo disse...
uiiiiiiiiiiiiii que me inspirei agora heinn Aninha linda...bora botar em prática hahaha
Abril 26, 2009

24 May 2010

COMECE JÁ SUA PLANTAÇÃO!

Texto de Ana Veet Maya

"Todo dia ela faz tudo sempre igual, me sacode às seis horas da manhã, me sorri um sorriso pontual e me beija com a boca de hortelã...”

Eita Chico e suas músicas que nos fazem refletir!

Todos nós temos hábitos que são nossa referência, nos mantém saudáveis, equilibrados, com prazer e especialmente, protegidos.

A auto-estima, a autoproteção, a auto-realização, a auto-avaliação, são palavras de ordem do homem moderno que está mais voltado pra “dentro”, buscando seu interior, buscando aprimoramento, maior satisfação e qualidade de vida, vida integrada na família e na sociedade.

Mas se o hábito faz parte natural da nossa vida, por que chega uma hora em que a “rotina” gera um quê de descontentamento, cansaço, uma reclamação?

Como lidar com a tal da “monotonia” que pra muitos gera instabilidade e até a depressão?

Por mais que o ser humano goste de segurança, ele também gosta da aventura e do novo. São os eternos contrastes que habitam em todos nós.

Ser “humano” implica em ser “total”! Precisamos nos permitir manifestar todas as emoções, poder vivenciar todos os sentidos da expressão, sermos buscadores e conscientes, nos desconstruir e refazer!

Quem para de acreditar, quem para de tentar e se fecha para o novo, para de investir em seus projetos, adoece, envelhece e morre.


Por isso precisamos manter nosso coração sempre aberto para o novo. Engraxar nossas dobradiças, azeitar nossas juntas, lubrificar nosso corpo, alma e mente!

São novas possibilidades, novas chances de acertar, nova forma física, um novo emprego, uma nova casa, um novo olhar, um novo curso, um novo livro, uma nova receita, um novo caminho, um novo amigo, um novo amor?

Quem sabe o que mais esta vida maravilhosa ainda nos reserva?

Mas pra colher frutos, precisamos plantar agora.

Nada de pensar no que não fez ontem ou no que virá amanhã.

Invista com energia e disciplina 
que os frutos virão fortes e saudáveis.

Ao tentar, ao fazer e refazer, ao errar e acertar, ao fazer do antigo e perdido o novo e o recomeço, você começou o trabalho.

Não adie mais!

Comece já sua plantação!

(Postado por anaveetmaya às 4/01/2009 08:09:00 PM)
Ana Veet Maya, terapeuta, massoterapeuta, ATENDIMENTO: anaveetmaya@cameracao.com

A PALAVRA DE ORDEM É ATITUDE

Texto de Ana Veet Maya

Nosso bem estar, nossa produção, nossa felicidade, dependem da riqueza do nosso interior e da qualidade da nossa comunicação com o mundo. Da qualidade de comunicação com o “eu profundo” teremos a maior ou menor qualidade de comunicação com o mundo “exterior”.

Quem não se olha e nem se vê provavelmente estará com a auto-estima bem baixa, sua comunicação estará bem ruim, tanto sozinho, como em família e/ou em sociedade.

É muito importante que você possa se enxergar e se assumir como “indivíduo” - um ser que não se parte- um ser inigualável, cheio de maravilhas que talvez ainda desconheça.

Quando você se sabe “único” e se dá seu real valor, sem super ou sub-valorização do ego, aprende não somente a se conhecer, mas também a valorizar e desenvolver outras habilidades, exigir todos os seus direitos e cumprir com mais eficiência seus deveres de cidadão.

Desde que você não tenha se decidido a se isolar da sociedade, ser um eremita e viver no alto da montanha, você precisará se relacionar, interagir, compartilhar seu conhecimento e suas conquistas e contribuir por conseqüência com a sociedade em geral.

Quem está desequilibrado, de mal com a vida, sem saúde, infeliz no trabalho e na vida amorosa, dificilmente terá uma comunicação eficiente.

Sua baixa auto-estima, sua insegurança e seus medos o farão “um mala sem alça”, uma pessoa sem poder de persuasão, quem sabe será até comparado àquela hiena do desenho que sempre se repete e diz : - Ó céus, ó dia, ó azar....

Então, aproveite: seu momento é agora!

Cuide-se.

Preserve e aumente sua qualidade de vida.

Faça exercícios. Alimente-se bem. Durma bem. Ame. Sorria.

Trabalhe muito, mas dedique um tempo para o lazer.

Relacione-se! Compartilhe! Mostre a todos seu coração quentinho.

Chega de palavras estudadas e frias.

Coloque intenção na sua comunicação!

Chega de carapaças, couraças e máscaras fakes de autoproteção.

Seja natural! Seja saudável!

Viva e ame a vida!

Ame seu corpo, cuide de sua mente, filosofe!

Abra-se para os mistérios do universo!

Arregace as mangas da camisa, escreva seus projetos, determine prazo de metas a curto, médio e longo prazo e vamos à obra!

Chega de perder tempo se lastimando e culpando os outros e as chances que alguém fez você perder.

Você é dono de sua vida.

Você é dono de sua decisão.

Use esse seu direito.

A palavra de ordem é atitude!

(Postado por anaveetmaya às 4/01/2009 07:43:00 PM )
Ana Veet Maya, terapeuta, massoterapeuta, ATENDIMENTO: anaveetmaya@cameracao.com



comentários:
Celso Luis disse...
TORNE-SE OCEANO
Mesmo antes de um rio cair no oceano, ele treme de medo...
Olha para trás, para toda a jornada:
os cumes, as montanhas,
o longo caminho sinuoso através das florestas, através dos povoados...
E vê à sua frente um oceano tão vasto,
que entrar nele nada mais é
do que desaparecer para sempre.
Mas não há outra maneira.
O rio não pode voltar.
Ninguém pode voltar!
Voltar é impossível na existência...
Você pode apenas ir em frente.
O rio precisa se arriscar e entrar no oceano.
E, somente quando ele entra no oceano
é que o medo desaparece...
Porque apenas então o rio saberá
que não se trata de desaparecer no oceano.
Mas tornar-se oceano.
Por um lado é o desaparecimento
e por outro lado é o renascimento.
Assim somos nós.
Só podemos ir em frente e arriscar.
Coragem !!!
Avance, lute... e torne-se oceano!!!
(autor desconhecido)
Um grande abraço para minha grande mestre e amiga Ana.
Celso Luis

FALAR EM PÚBLICO? EU SIM!

PRA VOCÊ FALAR BEM criado e ministrado por Marco Antonio e Ana Veet Maya desde 2003.
Muitos alunos já participaram desse workshop e temos certeza que pudemos acrescentar algo de bom à sua comunicação do dia-a-dia.
São horas de emoção e interação, onde Marco Antonio dá muitas dicas de comunicação e eu analiso e dou as dicas sutis sobre a linguagem corporal e os bloqueios.

Leia alguns comentários:

Eduardo Reimberg  : Mais que recomendado. Experiência incrível ao lado de pessoas fantásticas!

Silvia Rocha Super recomendo!! Curso recheadíssimo de importantes dicas profissionais pessoais! Além de ser muito divertido!

Maria A C Araujo Recomendo... excelente!

Miriam Lins Eu fiz o curso e AMEIIIII!!!!!

Paula Prata Vandenbrande Foi uma delícia o curso todo, adorei. Aprendi, conheci pessoas incríveis e estou feliz com o resultado. Obrigada Titio e Ana, vocês são especiais. beijos!

Bianca : "...achei interativo,relaxante,esclarecedor. Um curso que informa apontando diretamente onde se deve melhorar...."

Alan: "...superou o que esperava!!!!!!

Adriano "...Este curso é interessante, pois logo no começo deixa uma impressão legal e vai tambem com os metodos de respiração, isso vai quebrando a formalidade..." Adriano

Camila "...Achei a aula maravilhosa, eu realmente precisava de um curso diferente, divertido e relaxante. Adorei conhecer o titio e a Ana voces são muito bacanas. Parabens!!!!! e Sucesso!!!!"

Ana "...Acho o grupo muito pra frente, com uma super energia... busca o que temos de melhor e isso é uma experiencia maravilhosa ."

Vinício "... Eu sai com uma outra visão de mim mesmo> Agora vou interagir melhor com outras pessoas..."

Eliana "... Na verdade esperava algo de fora para dentro, mas descobri que guardo DENTRO os segredos que me causam o bloqueio... Obrigada!"

Adriano "... Ao final dos 3 finais de semana percebi que mudei "controlar o medo de falar" tanto com aquele grupo com em reuniões que tenho semanalmente, percebi que nestas 2 ultimas reunião tenho firmeza na fala e conhecimento no assunto e com isto passo tranquilidade "

Priscila " ... Simplesmente MARAVILHOSO! Excedeu minhas expectativas em todos os aspectos. Esperava algo muito mais voltado a apresentação mas além disso tivemos uma imersão em nós mesmos. Poder ver suas dificuldades através do outro, poder ver não somente a sua evolução mas a evolução do outro, é demais.
No último dia de curso pude ver a minha melhora e a melhora de todos, coisas simples que fazem toda a diferença..."

conheça o curso PRA VOCÊ FALAR BEM
www.cameracao.com

Ana Veet Maya, terapeuta
Agende seu atendimento: anaveetmaya@cameracao.com

SE TOQUE

Texto de Ana Veet Maya


Esse mundo tão moderno, essas máquinas e essa tecnologia “de ponta”, tudo quanto é “solução” ao alcance de nossas mãos, basta apertar um botão, clicar um “enviar”, um e-mail, uma pesquisa no Google, um chat e pronto! Adeus problema, adeus qualquer coisa, adeus até solidão!
Mas o que fazer com a carência afetiva mascarada sob os mais diversos nomes?
Compulsões mil, manias, fobias, um montão de “ites”, quantas queixas, quanto mal estar poderia ser transformado em saúde e bem-viver apenas com um “toque”.
É, um toque!
Abraçar mais, segurar nas mãos, acariciar quem você gosta!
Seres humanos precisam de toques!
E nós somos humanos!
Quando acariciamos e nos permitimos ser acariciados mantemos nossos hormônios equilibrados, nossa auto-estima alta, nossa pele fica bonita, nossos olhos brilham, nosso coração fica quentinho.
Acontece que as pessoas sentem medo!
- Ó Deus computador, me salve do “toque”.
Eu prometo que faço tudo, faço amigos virtuais, faço sexo virtual, faço compras virtuais, faço qualquer coisa, mas, por favor, me poupe do medo do toque, do complexo, da perda e da rejeição!
Assim pensando e assim agindo, a cada dia mais nos afastamos de nossos sentimentos, nossas necessidades básicas.
Cresce numa progressão geométrica a busca de remédios para emagrecer; proliferam-se as farmácias virtuais, doenças da moda ganham maior fama e rondam todos os nossos lares.
É por isso que resolvi vir aqui lhe falar: se toque, meu!
Faça automassagem, cuide de cada parte do seu corpo com amor, com cuidado, com carinho.
Use um creme, faça desse momento um ritual poderoso e único, diário e anti-stress, pró-saúde e auto-estima!
Quem se ama cuida bem do seu corpo, se toca e está pronto pra “enfrentar” os seus medos e finalmente poder tocar o outro.
Sem barreira.
Sem preconceito.
Toque! Abrace! Beije!
Seja autêntico e não tenha medo de demonstrar afeto.
Se você “se tocar” o mundo será mais gostoso pra você, pra mim, pra todos nós.
(Postado por anaveetmaya às 4/01/2009 07:28:00 PM)
Ana Veet Maya, terapeuta, massoterapeuta, ATENDIMENTO: anaveetmaya@cameracao.com

VAMOS LIMPAR NOSSO GUARDA-ROUPA

Texto de Ana Veet Maya

Para que haja crescimento, devemos parar de julgar o tempo todo.
Devemos nos colocar como observadores conscientes.
Observar com consciência é o primeiro passo daquele que se considera ou quer ser um verdadeiro buscador.
Devemos ser conscientes do momento presente.
Acreditem ou não, o ontem já acabou e o amanhã ainda não chegou. E nada podemos fazer sobre isso.
Mas podemos fazer algo sobre o " agora". O aqui-agora!
Para isso, precisamos colocar de lado conceitos e preconceitos e nos abrir para o "novo".
Devemos nos perguntar se é isso que queremos.
Se você quer crescer, melhorar, evoluir, siga em frente.
A mudança e aquisição de hábitos saudáveis que estimulam nossa vida, estimularão também com certeza, a boa comunicação.
Não há boa comunicação, quando a mente está travada, presa num corpo que não se permite sentir, presa por dogmas, paradigmas e comandos que apenas são criados para a manutenção da sociedade e desse mesmo status quo.
Vivemos brigando e competindo com o mundo e com nosso interior, julgando e sendo julgados a cada respiração, comandados pelas forças da mídia e por todos os que se atribuem o direito de exercer os grandes e pequenos poderes.
Assim nos afastamos a cada dia mais, da grandeza do ser maravilhoso que somos !
Somos seres humanos totais e plenos, criados para exercer toda nossa majestade, nossa totalidade, nossa dignidade.
Se queremos mudar "de verdade", se queremos evoluir, precisamos nos abrir para o novo.
Se o seu guarda-roupa está cheio de roupas velhas, entupido de acessórios ultrapassados, coisas que você já não usa há muito tempo, junto com muitas teias de aranha, cocozinho de barata e poeira, como colocar roupa nova lá dentro ? Sua mente é o seu guarda-roupa...
Primeiro você precisa se perguntar se QUER MESMO AS ROUPAS NOVAS . Você quer ?
Depois pergunte-se o QUANTO está preparado para "limpar"seu guarda-roupa. Você está?
A limpeza requer CORAGEM e OUSADIA ! Você tem coragem ? Você ousa?
A limpeza requer um comando que vem de dentro: isto serve, isto não serve.
O que serve, fica. O que não serve, colocamos PRA FORA.
Para fazer uma boa limpeza em seu guarda-roupa, você precisará separar as roupas que ainda quer e porque ainda usa, das roupas velhas QUE NÃO QUER MAIS e aquelas que não são velhas, mas você já não usa...
Fazer isso requer bastante concentração, meditação, respiração. E requer ação ! Você está disposto a agir?
O que ainda lhe serve ? O que você já não deseja mais ?
Se está bem certo disso, comece a "limpeza".
Na verdade, algumas roupas só servirão para trapo.
Outras poderão ser consertadas e reutilizadas.
Outras já não servem mais nem pra doar, devem ser jogadas NO LIXO. No lixo!
Precisamos aprender a nos desapegar.
Você está pronto ?
Então, respire fundo e mãos à obra : vamos limpar nosso guarda-roupa!
(Postado por anaveetmaya às 4/01/2009 07:23:00 PM )
Ana Veet Maya, terapeuta, massoterapeuta, ATENDIMENTO: anaveetmaya@cameracao.com

COMO SE FOSSE O SOL

Texto Ana Veet Maya

Precisamos exercitar nosso corpo.
Um corpo saudável pede exercício.
Tem que mexer e remexer!
Você que está lendo este texto e tem um par, aproveite e faça exercícios com ele(a).
Brincar com seu parceiro(a), andar, correr, fazer amor, tudo é exercício, mexe com a energia de cada um e com a energia do casal!
A monotonia que leva ao fim de muitas relações pode ser alterada com uma dança de salão, por exemplo.
Correr e se preparar juntos para uma maratona também pode estimular a união.
Quando nosso corpo fica muito parado, acumula toxinas. O acúmulo de toxinas mexe com tudo, inclusive com a nossa libido.
Aí tanto o homem quanto a mulher, cheios de toxinas e enfezados (...) deixam de lado o prazer, esquecem demais a sua biologia, sua sexualidade e param de suar...
O casal tem aquela tendência a se concentrar apenas no cotidiano, no peso dos problemas e todas as responsabilidades familiares.
É aí onde pode pintar a separação! Porque começa a broxar o homem, a mulher seca, mingua a fantasia, tudo fica sem cor, já não tem mais a cor do amor...
Acaba a tesão quando a gente foca apenas nos problemas do cotidiano.
E quem não tem problemas?
Qual o casal que não tem que gerenciar zilhões de problemas ?
Vamos aprender a relaxar a mente no momento da tensão maior e não focar apenas o problema.
Meditar, respirar, dançar, chacoalhar.
Continuar vivendo, sentindo, mudando o foco para a alegria e para soluções.
Pensar menos. Exercitar mais!
Sentir!
Este é o segredo: sentir alegria!
A alegria não " está", ela é!
O ser não é transitório.
Apenas o estar, é.
Danem-se os problemas.
A chuva parou!
E "...eu quero mais é me abrir e que esta vida entre assim como se fosse um sol..."





Ana Veet Maya, terapeuta, massoterapeuta,
anaveetmaya@cameracao.com




VOCÊ É ÚNICO

TEXTO -  por Ana Veet Maya

Minha avó já cuidava de seu marketing pessoal!
Quando encontrava alguém bonito, mas aparentemente “vazio”, dizia: - “por fora, bela viola, por dentro, pão bolorento"!
Essa expressão resume o conceito que queremos lhe passar: o que adianta você querer “vender” uma boa imagem, se ainda não sabe quem é?
Muitos investem apenas na aparência. Mas existe "plástica para a alma"?
Antes de “vender uma imagem”, vá fundo no autoconhecimento, porque uma imagem que expresse sua verdade interior, será seu melhor “marketing pessoal”!
Não adianta só ficar na moda, apresentar diplomas e cursos das universidades famosas, ter experiência comprovada, se quando você abre a boca muitos percebem que “algo” está fora de tom.
Não adianta querer agradar a todos o tempo inteiro se você não agradar a si mesmo!
Além disso, viver sempre no estresse de “interpretar um papel”, acabará gerando frustração e trará problemas físicos e emocionais.
Se você plantar seu “marketing pessoal” em cima de um “eu construído para agradar” você irá fracassar!
Um olhar brilhante, uma palavra cheia de significado e verdade, venderá bem melhor a sua “imagem” do que apenas a boa aparência e um excelente currículo...
Nosso olhar reflete a nossa alma.
O estado da alma plena é refletido num corpo saudável e num semblante feliz.
Seres humanos plenos buscam o equilíbrio, a saúde, a felicidade, o crescimento pessoal, compartilhando suas qualidades para a construção do bem-estar comum.
Devemos ser eternos “buscadores”.
Deixemos de lado os papéis de “vítimas”, “heróis”, “mocinhos” e “vilões”.
Sejamos naturais, verdadeiros e conscientes e vamos basear nossas ações em valores nobres e não em desejos menores ou modismos passageiros.
Livre de preconceitos e apegos com o passado e ansiedades sobre o futuro, você saberá dizer quem é você e saberá ressaltar o que tem de melhor.
Se estiver aberto a todas as possibilidades e se buscar sempre a verdade, agindo com naturalidade e desprendimento, suas qualidades ficarão naturalmente realçadas.
Quem procura brilhar, procura o “falso”.
Quem aprende a reconhecer as próprias virtudes e superar seus limites, sem preguiça nem orgulho de aprender sempre, brilhará naturalmente!
E esse brilho fará sempre a diferença e irá destacá-lo no meio da multidão.
Saiba, você é “único”!

Postado por anaveetmaya às 4/01/2009 07:19:00 PM

DEVE HAVER UM SENTIDO!

por Ana Veet Maya
Escrito em 2008

A árvore parece me chamar com suas folhas verdes que se curvam com facilidade.
Não é fácil a gente se curvar.
As medicinas orientais explicam bem a importância da flexibilidade.
Já fui mais flexível. Ou menos?
Deve haver algum sentido.
Não sei direito o que é.
A importância das coisas muda conforme eu respiro.
Mais uma respiração e sei que minha mente vai serenar.
Se eu serenar, sei que vou respirar mais profundamente.
E se respirar mais profundamente, sei que vou esquecer.
Esquecer o que mesmo?
Deve haver um sentido nisso.
Deve haver sentido nessa sensação vazia com gosto de nada.
Ela ainda fica na porta da loja de colchões.
Faz isso há 35 anos.
Fica parada, com seu corpo encostado num dos colchões, aguardando o freguês entrar.
Há 35 anos vejo a loja vazia.
Deve haver sentido pra isso também...
O engenheiro Daniel me mandou um torpedo às 5:45 h.
Disse que delirou pensando no pezinho da arquiteta feminina e gostosa.
É normal Ana?  Perguntou-me ele.
Tem que haver sentido pra um torpedo te acordar às 5:45 horas de uma manhã de quinta-feira, pra falar sobre absolutamente nada importante...
Estou cansada.
Ele disse que a semana ainda não terminou.
Estou com saudade do Prashanto.
Não sei chegar sozinha lá . 
Mas já aprendi a ficar sozinha.
Eu sei chegar sozinha em Roma e ver o papa.
O papa é menos importante que o Prashanto.
Eu queria saber tocar violão. 
Eu tentei e não aprendi. Minha mão muito pequenininha, não conseguia segurar o cabo do violão e alcançar todas aquelas cordas de aço.
Deve haver algum sentido pra minha mão ser pequenininha...
O filho dela me encontrou no Corinthians e disse que eu fiz botox porque me achou mais jovem.
Eu não fiz botox, eu fiz cirurgia plástica no olho, pra enxergar melhor. Que nem o Lobo da Chapeuzinho Vermelho.
Eu sou o Lobo Mau. 
Às vezes a Loba Boa.
Sei lá o que eu sou.
Mas deve ter sentido nisso também...
Eu gosto de estar aqui no CAPS.
Gosto de trabalhar e escrever nos intervalos, entre um paciente e outro, entre um surto e outro. Meu, deles...
A vida é engraçada.
O que inspira a Ana Veet Maya?
Entre um rock, um jazz, um blues, um progressivo e um bom psy, eu vou evoluindo.
Um dia sei que vou rir de minhas perdas.
Deve haver sentido nisso.
Estou confusa: não era um eletrônico o que eu estava ouvindo? Por que então o Depeche Mode ta me mandando apreciar o silêncio?
How can I change the world? How can I change the way I am? I don’t know. I don’t know.
Tenho saudade daquelas tardes, o pão-de-queijo da Katita e os nossos cafés intermináveis, cheios de risos e relatos de aventuras..
A pimenta que o Chiquinho prepara é a melhor. Mas a que ele me deu acabou. E eu adoro pimenta.
Adoro queimar de paixão.
Herança talvez daquela vida do passado.
Hoje eles não queimam mais as bruxas na fogueira... O método de tortura evoluiu muito.
Tudo se dá no invisível. São as tramas do além...
Deve haver um sentido pra isso também.
A dona Cida, a Maria Amarante e a irmã Clarete já estão lá em cima.
A Domênica acabou de ir.
Elas lá, eu aqui, olhando o paciente que saiu do surto e está vendendo canetas na rua.
Por que as pessoas compram tantas canetas?
Aonde foram parar todas essas escritas?
Silêncio.
A Yatamalo vai fazer a roda de cura.
O Anselmo falou que aquela erva tem poder. Don Juan também disse.
Eu gosto de Coca-Cola Lemon.
Mas não tenho encontrado e estou triste sem ela.. Isso é um boicote!
Deve haver sentido nisso também.
O Pelin falou que sou como o Plínio Marcos.
Será que foi elogio?
Quero ir no Hopi Hari só pra cair com o elevador...
Vou morrer de tanto beijar.
O beijo dele é mais gostoso que a Coca-Cola Lemon.
O paciente chegou.
O texto acabou.
E a vida continua acordada e viva.

DÊ UMA CHANCE PRA PAIXÃO

Texto de Ana Veet Maya (escrito em 2003 - fotos no Chile - 2007)


A paixão alimenta mais que chocolate.

Paixão cutuca, deixa você ficar cego, sem saber pra onde olhar, mas quando você olha, a paisagem te encanta e você fica ébrio de prazer.

Paixão faz bem pros olhos! O olhar fica mais límpido, brilhante, significativo.

Sentimento que te tira da terra, a paixão faz você ir pra mar aberto sem salva-vidas, mesmo sem saber nadar!

Faz teu coração bater forte na expectativa de encontrar o ser amado e faz você congelar quando sabe que não o encontrará.

Teu coração bate mais forte, aquele “tum-tum” em ritmo de rock, heavy metal, tango, house, trance...

Tem horas que a paixão é puro blues, ou aquele jazz do Pat Metheny...

Paixão toca todos os ritmos.

Claro que predomina o ritmo alucinante, que faz você suar e colocar todas as toxinas pra fora!

O ser apaixonado tem cor, já não quer mais morrer de amor!

O coração pulsa, o sangue corre com mais força nas veias!

A paixão dá asas à imaginação, as rimas fluem solto, os projetos acontecem, o chefe elogia, os amigos querem estar junto!

O apaixonado se torna uma pessoa muito mais gostosa, mais light, mais clean, porque para de julgar o outro.

O apaixonado não tem tempo pra isso! A paixão ocupa seu tempo e seu tempo inteiro é para a paixão.

O apaixonado é sempre bom, tolerante, amigo e compreensivo.

Para o apaixonado, basta saber que o seu amor existe, ele está, ele habita este Universo.

Mas, quando encontra seu par, a paixão celebra a vida e a vida ganha sentido no calor da paixão: a terra gira mais rápido, as sementes geminam, tudo gemina e cresce aquecido no fogo da paixão.

Paixão renova, paixão transmuta, paixão impulsiona.

A paixão contagia mais que catapora, bate mais forte que o tambor, toca mais pungente que o violino e é mais ritmada que o toque do berimbau.



E é ótimo remédio anti-stress, anti-fadiga, anti-depressivo, anti-choque,anti-guerra, anti-quaisquer-males que assolem a humanidade.




Na dúvida de qual remédio tomar, contra qualquer situação que te angustie ou qualquer doença que te incomode, consulte seu corpo, sinta o pulsar de seu coração e não tenha dúvida:  dê uma chance pra paixão!

23 May 2010

ÂNSIA

por Ana Veet Maya


Aonde finda esta dor?

Aonde o peito já sara?

Aonde encontro o calor

Mais luz para esta cara?







Aonde eu busco a vontade?

Aonde encontro alimento?

Onde estás, felicidade

Pra acabar com este lamento?



Aonde termina este mar?

Aonde acaba esta sina?

Aonde eu vou te encontrar?

Em que vida, que esquina?

21 May 2010

AMÉM

por Ana Veet Maya


Tudo escuro, apagado.
Onde estás, inspiração?
Ficou tudo tão calado
Morta está nossa canção



Nossas fadas, nosso conto
Onde está o nosso espelho?
Estou torta, estás tonto
Nosso olho está vermelho.



Tudo está tão separado
Onde está nosso quintal?
Não estás mais do meu lado.
Tão vazio nosso varal.




Nossas flores na varanda
Nossos risos na cozinha
Meu jasmim, tua lavanda
Tua luz brilhando a minha.



Nossa vida e harmonia
Ficou toda atropelada
Onde está nossa magia?
Que caminho!Que cilada!



Uma história sem seu trem
Mil começos, um final.
Que um anjo fale amém
E nos cure deste mal.

14 May 2010

NO WAY

por Ana Veet Maya

O passo é assustado
Cega e surda multidão
Ouço um grito, um estouro
Mais um corpo cai ao chão.

Solitária e tão insana
Segue a vida na cidade
São mil vozes que emudecem
Mil mentiras sem verdade.

E o teatro do agora
Segue impávido colosso
Para muitos caviar
Para outros, só o osso.

Tic tac e o relógio
Segue frio seu movimento
Mentes mortas, corpos mortos
Sem protesto e sem lamento.

13 May 2010

por Ana Veet Maya

As horas intermináveis
O vento que sopra frio
Um corpo congelado
E um quarto tão vazio.

Minha boca está travada
Sem voz nem emoção
Desde que tu partiste
Lacraste o meu coração.

Nada sangra e corta fundo
Nada dói mais nesta vida
Um amar lindo e profundo
Mas não ser correspondida.
Mas dores têm um limite
Os sábios dizem certeiros
Novo amor derruba o velho
Reconstrói nosso canteiro.

Novas flores e perfume
Novos rumos e porvir
Brilha intensa a natureza
Para aquele que há de vir!

12 May 2010

A BOCA E A MÃO

Não me peças

Que te entenda

Tal mistério

Há em mim...

Não te quero

Tão comum

Tão distante

Ou perto assim.



Não me contes

Teu segredo

Nem o mar

É meu limite

Não te escondas

Em tua sombra

Deixe abrir

A tua luz

Não te mostres

Inocente

Tu bem sabes

Da paixão

Dê-me apenas

Tua boca

Eu te dou

A minha mão.

11 May 2010

AMOR É...

por Ana Veet Maya

Amor não se come com maionese
Nem se cozinha como salsicha

Amor não é guardanapo
Pra limpar sua boca suja.

Amor não é lenço
Pra enxugar sua tristeza

Nem é esparadrapo
Pra proteger sua ferida!


Amor não é colchonete
Pra você deitar, só curtir.

Amor não é pão
Pra encher sua barriga.

Amor não é pimenta
Não vai queimar sua boca.

Nem jiló pra amargar.

Nem é macarrão ao sugo
Pra você se lambuzar.

Amor não é ENGOV
Não é vitamina C.

Amor não é vidraça
Não quebra nem estilhaça.

Amor é sempre imortal

Amor não é veneno.
Amor sempre cresce sereno
Junto com suas plantinhas.
Amor não é erva daninha!

Nem dólar, euro ou real
Que pague suas carências.
Que acabe com o seu mal.
Amor é arte, é ciência
De bem se conhecer.

Não vá querer disfarçar
Não vá tentar esquecer.

Amor: maior sentimento
Que cresce forte e profundo

Amor é tudo de bom
Que embala gostoso esse mundo!