11 September 2009

É NOITE

por Ana Veet Maya

É noite.
Olho para todos os lados, mas não tenho olhado a terra.
O céu me atrai.
Minha mente divaga ao contemplar estrelas.
A beleza, o brilho, a distância, o mistério da noite...
E ele - sempre imenso e profundo - o céu: cenário essencial do teatro da noite... 
O céu: a testemunha silenciosa de todos os encontros e despedidas.
Lágrimas, desespero, bebedeiras, promessas, desesperança, tentações, prazeres, sensações. 
Todas as sensações. 
Parece que os grandes prazeres são reservados para a noite.
Às vezes tenho medo da noite.
Meu medo só não é maior do que a minha atração.
E as paisagens se sucedem.
Sombras e luz.
Mas são em maior número as sombras... Porque as luzes fogem da noite.
A noite gosta do vermelho do veludo e do toque do cetim. 
A noite gosta da seresta e muita festa.
Será que a noite gosta de mim ?
O farol de um carro à distância. 
E já passou.
Vagalumes na estrada. 
O cheiro da dama-da-noite. 
E já passou também.
Tudo passa muito rápido... 
Eu eu nem sentí o dia passar.
Posso fazer minha vida inteira caber num dia.
Mas a noite é incomensurável...
O riso dos meus filhos no banco de trás do carro.
O latido do cachorrinho.
Aquela casa com chaminé.
A fumaça nos mostrava a vida que buscava o céu.
O forno-a-lenha, o café, um cheiro de conforto e cotidiano. 
E eu cigana, minha família de sangue e a família inteira do mundo.
Somos todos viajantes da noite.
Novos caminhos, novas culturas, faces, preceitos, preconceitos, acidentes de percurso, as curvas do caminho e as retas. 
Sim. 
São muitas as planícies. 
Nesta vida superei barreiras e ultrapassei fronteiras.
Um amigo me diz que vive agora a sua solitude: solidão com atitude.
A noite estimula atitudes.
Mas muitos, à noite, só querem entorpecer seus sonhos.
Eu gosto de clarear a noite.
Com neon. 
Com frisson. 
Com a alegria de quem gosta de partilhar.
A noite inspira e encobre risos e lágrimas.
Vivas à noite, mãe das esperanças, babá dos sonhos que insistem em nascer. 
Palmas para a noite que acalenta novos amores e abriga poetas chorosos dos amores perdidos.
Glórias à noite que deságua no dia, que deságua na tarde e deságua novamente na noite, destino certo de todos os que amam a luz.
É noite. 
Beijo o invisível que vê o meu coração...




No comments:

Post a Comment