25 August 2009

PASSADO

por Ana Veet Maya

Eu te quis assim
Como uma brisa fresca
Que aplacava o suor
Do corpo cansado
E sangrento de luta.

Eu te quis assim
Como a mordida da maçã
Que adoçava a minha boca
Antes amarga e seca
Por tanta desilusão.

Eu te quis assim
Como quem nada queria
E apenas esperei
E contemplei o azul
Que era negro e rubro também.

Eu te quis assim
Como um doce raro
Um manjar divino
Que saboreei antes mesmo
De provar.

Eu te quis assim
Sem nada pedir
Sem nem te te sentir
Porque pensei conhecer
A beleza do teu ser.

Eu te quis assim
Simples e puramente
Silenciosamente
Sempre enamorada
Da força do homem que és.

17 August 2009

LÁ NA FESTA DO DUDU

por Ana Veet Maya













Muita cerva teve bolo
Farofada com sagu
Gente muito animada
Lá na festa do Dudu

A vampira chupadora
A noivinha um xuxu
O mecânico atrevido
Lá na festa do Dudu

O polícia e sua revista
O Caveira, o Rock e o nu
Gourmet, toureiro e o Sherlock
Lá na festa do Dudu

A Chiquinha irritada
Com o Chaves e seu xabu
Teve o Jason atordoado
Lá na festa do Dudu

Teve eles, teve elas
Teve nós e muito angu
Um bafon muito fervido
Lá na festa do Dudu

A Quitéria e a galinha
Oferenda pra Omulu
E o riso correu solto
Lá na festa do Dudu

Teve bocas bem pintadas
Muito peito, bunda, cu
Muitos corpos definidos
Lá na festa do Dudu

Se você ficou chapado
E se ouviu da vaca o mu
Você já foi batizado
Lá na festa do Dudu

Onde todos são bonitos
Onde o A é ióuuuuuuuu
Amizade musicada
Lá na festa do Dudu!

Se você perdeu , coitado!
Ache a rima para o u
Nosso encontro tá marcado
Lá na festa do Dudu

6 August 2009

SOL


Pele branca
Um cetim
Boca rubra
De carmim
É mulher
E é menina
Energia
Que fascina
De dia fala de cura
À noite leva à loucura
Os corações que procuram
As seduções da cigana...
Pois que ela sabe encantar
É serpente que dança
Despertando o prazer...
Pobres lobos solitários
Pobres cegos indolentes
Se iludem confundindo
Imaginam que a tem...
Livre chama doce Sol
Fera forte e brejeira
Tua vida é de luta
A vitória é certeira.
Não te assustes com a tristeza
Pois que tudo vai e vem
Nesta vida de incerteza
Sempre é certo um novo bem!



Um beijo de amor

Ana Veet Maya
(para minha amiga SOLANGE, reikiana, bruxa, fisioterapeuta maravilhosa, com meu agradecimento por tudo que está me fazendo!)

4 August 2009

A SEPARAÇÃO

por Ana Veet Maya


Não dá pra gente medir a dor...
Dá?
Cada um sente dor de um jeito.
E existem muitos tipos de dor.
Na poesia livre que transcrevo a seguir e que escrevi em março de 2008, falo da dor da separação de um amor.
E no final vocês assistirão ao vídeo de Roberto Carlos, o poeta do amor que tão bem fala sobre a dor do coração partido.
Quando sentimos dor, não nos importamos de ser ou parecer "bregas".
Queremos (e precisamos) apenas desabafar...
Mas minha avó me dizia que um amor a gente "sara" com outro.
Sábia vovô Anna.
Amigo que me lê, se você neste momento está se sentindo sozinho, sem amor, sofrendo a dor de uma separação, vai fundo.
Não fuja desse sentimento.
Permita que sua dor se manifeste!
Chore, grite, tente, faça tudo o que seu coração mandar.
E tenha certeza, meu amigo, isso também irá passar...
Veja, eu também já passei por isso.
E eu também sobrevivi.
E sabe que concordo com vovó? hehe
Gosto de acreditar nas possibilidades.
Vamos manter nosso coração aberto e quentinho.
Bom dia e abraços solidários e afetuosos pra você que sofre neste momento a dor do coração partido!
anaveetmaya
abril de 2013

A SEPARAÇÃO
anaveetmaya
poesia escrita em 2008

Sim
Talvez eu seja louca
Completamente louca talvez
irremediavelmente louca
E é assim loucamente
que eu o desejo querido
Mas deito na cama vazia
e acordo perdida sem você.

Sim
Talvez eu seja louca
e louca sei caminharei só
e esperarei por seus braços
que sinto nunca chegarão
e o seu corpo sedento
eu sei não irá me aquecer...
Por que não está aqui meu amor?

Sim
Talvez eu seja louca
e queira gritar por sua boca
imaginar nossa vida possível
acreditar nosso amor bem real
E alegre nossa casa, nosso dia...
Tão loucas possibilidades
Que se perderam vazias.

Sim!
Talvez eu seja louca
Porque mil vezes só sua eu seria
E mil vidas eu louca lhe daria
Pra sermos louquinhos assim...
E pra sempre seria bem-vindo
E eu olharia o céu só sorrindo
da loucura que o une a mim...