21 July 2009

ANA VEET MAYA, por ANA VEET MAYA

Casei-me bem jovem e com pouca experiência.

Amadureci com o casamento e as responsabilidades que chegam com ele. 

Separei-me do primeiro marido e querido amigo até hoje, quando minha filha tinha um ano, após cinco anos de relacionamento e eu com apenas 23 anos...

Hoje a juventude começa a pensar em casamento mais tarde e eu aplaudo os tempos modernos e nossa juventude inteligente!

Casei-me pela segunda vez aos trinta anos, já um pouco mais experiente. 
Necessitei ser pai e mãe para minha filha, pois o pai biológico - um excelente músico- dedicava-se a projetos inusitados no sertão nordestino, sempre fisicamente distante de nossa filha.

Neste tempo, mulher separada ainda era muito discriminada e eu sofri com os preconceitos.

Penso que foi aí que comecei minha busca interior profunda, minha vontade em aprender a ser mais desapegada e a compreender e perdoar mais.

Minha oração de cabeceira sempre foi a ORAÇÃO DE SÃO FRANCISCO.

Ao lado do meu segundo marido fui muito feliz, cresci, aprofundei, evolui!

Ser mãe de três crianças na mesma faixa etária não foi tarefa fácil, mas hoje sinto que colho com os frutos da minha dedicação. 

Meus três filhos e agora minhas netas, trazem infinitas alegrias para meu cotidiano!

Mas na época que assumi a maternidade de mais dois filhos, amigos me diziam que eu era louca... Questionava, como eu tinha coragem pde me casar com um homem que traria dois filhos para EU criar...

Mas o amor pode mais.

E eu tive atitude e enfrentei.

Cabe aqui uma reflexão...   Pois se você não estiver consciente, seguirá sempre com a boiada e perderá chances de evolução!

O tempo que durou este relacionamento foi o mais gostoso e de maior crescimento na minha vida. 
Ao lado dele descobri-me mãe, mulher, esposa, um ser humano muito mais natural, belo e feliz.

E a vida passou, exatamente como tudo sempre passa... 

O tempo, a maturidade, a diferença de idéias e ideais, ritmos diferentes, sonhos que não mais compartilhávamos desgastaram a relação ... 

Acabou o desejo de compartilhar e tivemos a maturidade para nos abrir para o novo mais uma vez... 

E eu fui viver sozinha pela primeira vez na vida aos quarenta e sete anos!

Sempre é tempo de aprender...

Mas não é fácil aprender a viver só ! 
Porque a gente fica tão acostumado com certas fantasias e certas muletas...

E o novo muitas vezes assusta, atemoriza profundamente.

Precisei ter coragem e enfrentar muitas críticas e julgamentos.

Mas meu prazer na construção do "novo" era tão grande que eu sentia novamente alegria.

Neste momento peço a você, querido leitor, que reflita sobre sua vida e sua capacidade para se abrir para o novo.
Você quer de verdade? 
Você consegue mudar? 
Você consegue romper velhos padrões e aceitar as mudanças?



Muitas pessoas por vezes escolhem viver sem amor, sem autoestima, acomodadas num casamento de aparênciase profundamente infelizes...

Será que é mesmo tão difícil assumir as rédeas da nossa própria vida?

Cabe aqui uma respiração e uma reflexão...

.
.
.
.
.

A separação trouxe novos ventos pra minha vida e a vida de meu marido. 

E foram ventos da bonança.

Dávamos risadas quando nos confidenciávamos sobre nossas paqueras e nossos namoricos.

E foi tentando que ele se apaixonou novamente. 

E eu também.

A vida é movimento!

Quando aceitamos o movimento de nossas vidas, 
aprendemos com as ondas que chegam e as ondas que partem,
deixamos entrar e deixar sair, com bem menos apegos! Ficamos mais leves!

Continuo a mesma mulher apaixonada e sou consciente da vida interessante que vivo.

Estou aberta para a aprendizagem.

Ao lado dos meus amores, superei preconceitos, descobri-me mulher, vivi a plenitude de uma família amorosa e estimulante.

Dia após dia aprendo a viver o presente e o inusitado, com coragem e alegria e sem vergonha de reconhecer meus cansaços, minhas tristezas e meus sentimentos não tão nobres.

Trabalho, mas me permito o ócio.

Assim, em agradecimento a meus amores, a minha mãe e a meus filhos queridos, escrevi esta história.





Eles povoaram e povoam minha vida com grandes momentos e as maiores vivências que um ser humano pode viver aqui neste planeta de luz e sombras.

coragem de mudar deu o impulso mais significativo na minha vida. 

E hoje ao escrever um pouquinho da minha história, o faço para contribuir.


Ninguém é dono de algo, 
de alguém, ou do momento...

Assim, como aconselha mestre Osho, sigamos aprendendo a nos relacionar como uma flor, sempre
abertos para a vida 
e todos os sentimentos.




SER FELIZ é SER NATURAL.








 texto de Ana Veet Maya

14 comments:

  1. É claro que enquanto houver vida há mudança.
    Seja bem vinda ao clube dos contempladores dos absurdos!
    É maravilhoso não se ter vínculos!

    ReplyDelete
  2. AnonymousJuly 21, 2009

    Voce sempre surpreendente.
    Esta é a fase de minha vida, conhecer a historia dos outros.
    Parabens pela sua.
    Um grande beijo,
    Edson - Sorocaba

    ReplyDelete
  3. Pouco antes da alma encarnar, cada pessoa olha nos olhos do Divino e é perguntado se quer enfrentar o desafio de passar pela fila de distribuição de "Coragem".

    Muitos são chamados, mas poucos são os que se arriscam.

    Eu lembro de você na fila, foi a única que passou duas vezes pela "Coragem".

    Quando seu corpo físico morrer, vai ser o primeiro registro na história da medicina, onde a vida se esvaziou, mas o coração permaneceu batendo.

    E batendo firme!

    Como uma caixa de som de uma casa noturna. Batendo alto! Incomodando os que querem permanecer surdos.

    Eu também conheço essa solidão. Conheço ela desde muito cedo... Cresci com ela, dancei com ela, brinquei com ela e com ela pude passear naquela casa que ninguém quer ir, mas eu sei que você também já visitou:

    A casa do medo.

    No começo era escuro lá, mas a culpa não era da casa, nem do medo. Bastava apenas acender a luz. ;)

    Te aaaaaaaamo!!!!

    ReplyDelete
  4. AnonymousJuly 21, 2009

    O Melhor tempo é aqui e agora
    vivendo a vida e
    vivando a vida

    Love
    Samudaya

    ReplyDelete
  5. Poxa que legal Ana, isso é uma estória de coragem e renúncia, só uma mulher de fibra como vc ! Bj no seu coração.
    Ps. adoro conversar c/ vc.

    ReplyDelete
  6. NOSSA !!! Quanto comentário surpreendente! Amigos! O melhor nessa vida. hehe

    ReplyDelete
  7. As pessoas passam pela nossa vida e nem entendemos porque. Só entendemos depois que elas passam.
    Que bom que elas passam! A gente aprende com elas!
    E sempre falam que quando há saudades, é porque há boas lembranças.
    Mas, enfim... superamos! Logo você encontra o seu verdadeiro amor. Todo mundo merece. E você principalmente.

    Beijão!

    Taty Sputnik

    ReplyDelete
  8. Cris ViscomeJuly 24, 2009

    E enfim "a chuva passou"............e outras virão, porque a vida é assim, mas somente para aqueles que tem coragem de realmente "VIVER A VIDA"!!!! TE AMO, TE ADMIRO.....

    ReplyDelete
  9. AnonymousJuly 29, 2009

    Sou apaixonada pelos seus textos!

    ReplyDelete
  10. Karen A. TassoDecember 09, 2010

    Veet!!!!
    Amei a sua história!!! Mto linda!!! E saiba q vejo em vc uma grande inspiração para mim...tento sempre me lembrar de suas palavras, das meditações e dos seus textos e esse é mais um deles que é uma grande lição e que eu quero guardar sempre pra mim...

    Eu fui aprendendo aos poucos a me libertar de muitos medos, de muitos preconceitos e hj sou totalmente diferente do q era antes...vc tem uma parcela de "culpa" nisso ;) Mas uma culpa boa...rs...

    Linda linda e linda!! Sempre linda, vc!!!

    Bjo bjo bjoooooooooo!!!!!!!!!

    ReplyDelete
  11. Não é fácil expor medos,angústias e sofrimentos...ao mesmo tempo,não é difícil colher o bem que isso nos faz...como eu sou aquele que não fala 3 frases sérias o tempo todo,Veetinha tu vai formar uma mulherada da peste desse jeito!A próxima geração,de mulheres,estará com o cão da peste!Se cuida molecada!
    bjo na bochecha Muié
    TITIO BETO

    ReplyDelete
  12. Realmente me surpreende sua historia.A palavra certa para você é:Coragem,isso vc tem de sobra e admiro!!!Parabéns!!!!!Beijosss Erika.

    ReplyDelete
  13. Como amo todos vocês queridos leitores, queridos amigos! Beijos e abraço apertado em todos!

    ReplyDelete
  14. Vida louca vidaaaaaaaaaaaaa... uhuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu E já tenho mais uma neta! aeeeeeeeeeeeeeeeeeeee

    ReplyDelete